FMO

18/07


2019

Coluna desta quinta na Folha

Lupi acende fogueira da sucessão

Ao antecipar, ontem, no Frente a Frente, que o deputado Túlio Gadelha tem o respaldo do diretório nacional para disputar a Prefeitura do Recife em 2020, o presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, antecipou a campanha na capital. Contrariou, consequentemente, a direção estadual do partido, que torce o nariz quando ouve falar numa possível candidatura de Gadelha.

Wolney Queiroz, presidente do PDT e José Queiroz, seu pai, têm um pé atrás com o namorado de Fátima Bernardes desde o tempo em que confiaram a ele a missão de ampliar diretórios pelo interior do Estado e, ao invés dele agir organicamente, voltado para o partido, aliciou os novos dirigentes para trabalhar para ele.

O tempo não se encarregou de cicatrizar a ferida e tudo leva a crer que pai e filho tendem a fazer a cabeça de Lupi para manter no Recife aliança com o PSB, cujo pré-candidato é o deputado João Campos, herdeiro político de Eduardo Campos.

Sem surpresa – Não será nenhuma surpresa o PDT caminhar em faixa própria na sucessão de Geraldo Júlio no Recife. Na eleição para governador em 2018, o presidente Carlos Lupi entrou nas negociações para preservar o partido na aliança palaciana. Aceitou apoiar a reeleição do governador em troca da candidatura de José Queiroz ao Senado. O PSB não aceitou e o PDT apoiou Maurício Rands.

Devolução – Fora da aliança com o PSB no Recife, como deseja Lupi, o PDT será obrigado a devolver sua fatia de cargos no latifúndio socialista. O partido tem uma secretaria estadual – Trabalho, Emprego e Qualificação – e a pasta de Habitação no plano municipal com Geraldo Júlio. Quando saiu da coligação com o PSB, o PSDB, lá atrás, foi obrigado a devolver todos os cargos.

Visões diferentes – Os estatutos do PDT e PSB são diferentes. Enquanto o primeiro reuniu a executiva nacional e decidiu suspender as atividades partidárias de oito deputados por terem votado a favor da reforma da Previdência, o segundo preferiu burocratizar. Abriu os processos pelo Conselho de Ética, deu prazo para defesa e não se sabe se o julgamento final ainda sai este ano.

Dente de leite – Do marqueteiro e diretor da Makplan, o atualíssimo Marcelo Teixeira, ao ouvir, ontem, a entrevista de Carlos Lupi anunciando a candidatura de Túlio Gadelha no Recife: “Me lembrei do sábio Doutor Tancredo Neves: Túlio é dente de leite: não dói para tirar”. Que maldade!

Rejeição – O Tribunal de Contas do Estado rejeitou, ontem, as contas dos ex-prefeitos de Belém do São Francisco, Barreiros e Correntes. As câmaras já foram orientadas a referendar a decisão dos ex-prefeitos Gustavo Caribé (Belém), Carlos Artur (Barreiros) e Edimilson da Bahia (Correntes).

ABANDONO – O presidente da Embratur, Gilson Neto, disse que voltou indignado de Fernando de Noronha com o estado de abandono da ilha. Quanto ao fim da taxa federal admitida pelo presidente Bolsonaro, afirmou que não se trata de extinção, mas de uma possível redução.

Perguntar não ofende: Se o PSB quisesse, de fato, expulsar os deputados rebeldes não teria agido igual ao comando do PDT, que já suspendeu as atividades partidárias dos seus infiéis?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Como ele gosta de piroca grande, não?

marcos

Falando em piroca qual a intenção de Glenn vazar Deltan e o ministro Barroso discutindo tamanho de Pênis?

Fernandes

200 dias de um governo de miliciano,eleito por escrotos que acreditavam em kit gay e mamadeira de piroca

marcos

200 dias sem corrupção no Brasil, os idiotas úteis ficam arretados!

marcos

Escrotos que acreditavaM mortadela Analfa!