Guerra do PT a Eduardo: ''''Ganhar é questão de honra''''

 É uma questão de honra para nós ganhar a eleição em Recife. Nosso objetivo hoje é crescer nacionalmente, manter a maior parte das prefeituras que temos, reconquistar algumas das que perdemos e aumentar significativamente o número de vereadores. Esse é o nosso objetivo. E Pernambuco, São Paulo, Fortaleza e Belo Horizonte são prioritárias. Vamos jogar muito peso nessas campanhas. A declaração de guerra é do presidente nacional do PT, Rui Falcão, em entrevista ontem publicada no Jornal do Commercio.

O recado reflete bem o clima a que chegou a sucessão municipal recifense, desde que, encerrada a briga interna petista, o governador Eduardo Campos resolveu meter a colher e atropelar, lançando candidato próprio – Geraldo Júlio, do PSB – para disputar o lugar hoje ocupado pelo prefeito João da Costa.

SOBROU PARA JARBAS

E não mediu as palavras o presidente petista, criticando até a recente aliança de Eduardo com o senador Jarbas Vasconcelos, o mais duro crítica de Lula, durante e após sua passagem pela presidência da República.

‘’É estranho que o governador, que faz parte da base de apoio da presidenta Dilma, se alie com um adversário histórico nosso. Não só nosso, dele também. Quero lembrar que o único senador que se opôs à indicação da (ex) deputada Ana Arraes (mãe de Eduardo Campos) para o Tribunal de Contas da União, com o nosso apoio, foi o senador Jarbas Vasconcelos. E na ocasião quem a defendeu, e nós estamos cobrando isso, foi o senador Humberto Costa.’’

É ROMPIMENTO

Quanto a rompimento com os socialistas  pernambucanos, Falcão quase nacionalizou a briga: ‘’Primeiro, eu lamento que o PSB tenha rompido a Frente Popular no Recife. Não é um rompimento nacional, já que o PSB continua integrando a base de apoio da presidente Dilma. Mas houve um rompimento também por parte do PSB em Fortaleza e um rompimento de palavra por parte do prefeito de Belo Horizonte, nesse caso é um prefeito sem palavra, não é o PSB nacional.’’

Publicado em: 06/08/2012