Pancadaria petista em cima de Eduardo e Geraldo Júlio

Candidato petista credita ao PT a responsabilidade pelas obras estruturadoras vindas para Pernambuco na gestão do PSB (Sérgio Figueirêdo/Grão Fotos)

Mais ou menos superada a chafurdação entre os petisas pernambucanos, outra pancadaria começa a tomar corpo em torno da sucessão do prefeito João da Costa: os petistas estão caindo de pau em cima dos aliados de Eduardo Campos, mais especificamente no seu candidato a prefeito Geraldo Júlio. Ontem, durante a inauguração do comitê central do PT no Recife, um palanque hostil ao socialistas abriu fogo em cima da candidatura eduardista. No palanque, Humberto Costa, e seu vice, João Paulo, o secretário-geral do PT, Eloi Pietá, e a prefeita de Fortaleza (CE), Luizianne Lins, acompanhada do candidato do PT na capital cearense, Elmano de Freitas, a guerra foi declarada, e externada em declarações incisivas a todo o momento.

“As principais ações que fizemos aqui (em Pernambuco) foram em parceria com o governo federal. E eu, atendendo a um pedido de Lula, resolvi assumir o desafio de ser candidato. Não poderia deixar de atender tanto aquele que mudou o Brasil quanto à presidente Dilma”, declarou Humberto Costa. “Lula já colocou muito bem qual a posição e avaliação dele. No Recife, ele está ao lado de Humberto”.

SEMPRE A FIAT 

Outra bandeira que os petistas vêm acusando os socialista de se apropriarem é a ação do governdo Lula em prol de Pernambuco, trazendo empreendimentos para o Estado. Humberto Costa não deixou barato quanto ao mérito do PT e de Lula de trazerem empreendimentos para o Estado, a exemplo da fábrica Fiat. Lembrou o papel em torno da Medida Provisória apelidada de “MP da Fiat” que prorrogou os incentivos fiscais às empresas automobilísticas instaladas na região .“Se eu não tivesse relatado essa MP e aprovado por unanimidade, Pernambuco não teria a Fiat”. Foi um estocada pesada nos socialistas, que divulgaram carta apresentando Geraldo Julio como aquele com todos os méritos pelo investimento do governo federal em Pernambuco. E disse mais João Paulo:

''''A Fiat só veio para cá porque eu fui relator de uma Medida Provisória que mudou a legislação e permitiu a instalação dessa fábrica. Se não fosse isso, ninguém teria Fiat hoje,   avisou Humberto. A pancadaria de ontem fez parte da missão a que se propõem os petistas no momento: “derrubar os pilares da campanha” de Geraldo Júlio, como diziam sem meias palavras os oradores de ontem na inauguração do comitê central da campanha petista.

Publicado em: 06/08/2012