Coluna da segunda-feira

       Eduardo inova, Aécio fadiga

Em meio ao maior desafio político da sua carreira – derrotar o PT no Recife e eleger um aliado prefeito – o governador Eduardo Campos (PSB) despontou pela primeira vez numa pesquisa para presidente da República com 6%.

O levantamento é do Sensus e mostrou a preferência do eleitorado pelo nome do ex-presidente Lula, que aparece com mais de 65% das indicações de voto. Um dia antes, numa pesquisa da CNT, Eduardo também foi lembrado por 3,5% dos entrevistados.

Aliados do governador dizem que seu projeto presidencial não está focado em 2014, mas em 2018. Custo a acreditar. Sua movimentação e exibição na mídia nacional geram desconfiança. Há um vácuo na oposição para um projeto novo.

O fato novo de 2014 pode até não ser o governador pernambucano, mas uma vitória no Recife o ajudará bastante a ser lembrado, até porque o senador Aécio Neves, candidato que o PSDB prepara, não se movimenta.

Também não se articula, está intocado em Minas Gerais e parece sofrer do que é em política se traduz por fadiga de material quando se identifica em alguém um processo precoce de envelhecimento.

Na pesquisa Sensus, aliás, Aécio tem apenas 13%, percentual baixíssimo para quem está na mídia há muitos anos, desde que perdeu em 2010 o direito de disputar na legenda tucana para José Serra.

IMPUGNAÇÃO- Em Petrolina, o candidato do PSB, Fernando Filho, teve sua candidatura impugnada, ontem, no último dia de julgamento de processos de registros pela justiça eleitoral. A pendenga está na documentação do seu candidato a vice, advogado Genedy Patriota, filho do deputado federal Gonzaga Patriota. Embora haja espaço para recurso, não é nada agradável para um candidato enfrentar problemas dessa natureza no início da campanha.

Ficha suja derrotado - O prefeito de Palmares, Beto da Usina (PDT), também teve, ontem, sua candidatura impugnada pela justiça eleitoral do município. Ele aparece na relação dos fichas sujas em processos de apropriação indébita. Lá atrás, sofreu condenação pelo Tribunal de Justiça do Estado.

 

 

Coronel escapa - Já em Gravatá, o juiz surpreendeu e não acatou recomendação da promotora pela cassação do registro do ex-prefeito Joaquim Neto (PSDB), que pela forma autoritária como age no município é chamado de coronel.  Como figura também na lista dos fichas sujas do TSE, era natural que sua candidatura fosse impugnada, como aconteceu com Francisco Tavares, em Verdejante e Beto da Usina, em Palmares.

PR se complica - Já o PR, do deputado Inocêncio Oliveira, sofreu derrota em Iguaracy. Decisão do Tribunal de Justiça tornou sem efeito a convenção que homologou a candidatura do ex-prefeito Francisco Dessoles, que concorre pelo PTC, mas que havia incluído o PR na sua coligação. Se ganhar liminar na justiça comum, o prefeito Albérico Rocha pode concorrer à reeleição pelo PR.

Começou a esquentar - Pelo menos até agora, a campanha mais quente no Sertão é a de Serra Talhada. Ali, o candidato do PR, Sebastião Oliveira, bate duro na gestão do prefeito Carlos Evandro, que apoia o candidato do PT, Luciano Duque. Este, por sua vez, já batizou Inocêncio Oliveira de coronel e insinua que o governador abandonou o município, cujas principais obras têm o carimbo do governo local.

 

CURTAS

AVALIAÇÃO – O candidato do PSB a prefeito do Recife, Geraldo Júlio, passa a manhã inteira de hoje reunido com o comando da sua campanha. Na pauta, o monitoramento das ações já desencadeadas até o momento e a discussão da agenda da semana, concentrada em caminhadas pela periferia.

COMITÊ– O candidato do PT, Humberto Costa, saiu animado da festa de inauguração do seu comitê de campanha, ontem, que atraiu uma multidão. O senador chegou acompanhado do seu vice, o deputado João Paulo, com quem tem andado grudado na pauta de visitas e caminhadas.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Quando a campanha vai começar a esquentar no Recife?

''O presente dado em segredo aplaca a ira, e a dádiva no regaço põe fim à maior indignação''. (Provérbios 21:14)

Publicado em: 06/08/2012