A guerra dos juros: Dilma versus bancos

 Os bancos ainda não acreditam nisso, mas a presidente Dilma Rousseff está disposta a enfrentá-los, e não apenas em discursos. E, ao contrário do que se imagina, a presidente não está, no caso, em busca de popularidade - que, aliás, tem de sobra. Dilma está disposta a queimar parte de seu capital político na luta contra os juros, que considera excessivos (e, mais tarde, contra os serviços oferecidos aos clientes, sempre tratados com descaso e muitas vezes desrespeitados). Enfrentar os bancos tende a transformar-se na marca da administração de Dilma. (Carlos Brickmann)

Publicado em: 05/05/2012