Ultimato a João da Costa: ou une ou fica fora do páreo

DO DIARIO DE PERNAMBUCO - CLÁUDIA ELOI

 O prefeito do Recife, João da Costa (PT), não poderá “reinar” como condutor do processo eleitoral até o período das convenções (que acontecem em junho), como pretendia. Ontem, a tendência majoritária do PT no estado, a Construindo um Novo Brasil (CNB), decidiu dar uma espécie de ultimato ao petista. A CNB estipulou o mês de fevereiro como data limite para a definição de candidatura no Recife. Se até lá João da Costa não construir as condições políticas para ser o candidato único da Frente Popular de Pernambuco e não conseguir a tão sonhada unidade na base governista, ele estará fora do páreo.

“É razoável esse prazo. Irei defender essa proposta na executiva do partido. É uma deliberação de uma corrente”, disse o presidente estadual do PT e integrante da CNB, Pedro Eugênio. “É uma proposta definida em nosso encontro dentro do partido. Se precisar de mais discussão vamos discutir. Achamos que daqui para fevereiro teremos um cenário mais esclarecedor”, contenporizou o senador Humberto Costa.

Humberto disse, ainda, que outros atores vão intervir nessa decisão como o ex-presidente Lula, o PT nacional e o presidente nacional da legenda, Ruy Falcão. De acordo com ele, se o PT demorar muito poderá fragmentar a Frente.

Publicado em: 23/12/2011