Coluna da sexta-feira

         Bicudos irreconciliáveis

O governador em exercício João Lyra Neto (PDT) já sabia que o prefeito de Caruaru, José Queiroz (PDT), não daria o ar da sua graça na festa de confraternização de fim de ano do seu grupo, anteontem, na capital do Agreste. Por isso, em nenhum momento assegurou, na conversa com os jornalistas, que o “aliado” apareceria.

Queiroz e Lyra estão afastados, para não dizer rompidos. Mas, não assumem de público para não estressar a Frente Popular e não causar aborrecimentos ao governador Eduardo Campos. Conforme já disse em público o próprio Lyra, Queiroz, na condição de presidente estadual do PDT, ignora o vice-governador para convites institucionais e partidários.

Pelo que deixou a entender, provavelmente nem se falem ao telefone nem tampouco pessoalmente. A briga não é recente. Vem de longe. Desde quando disputavam a hegemonia política em Caruaru. São dois pavões. Um se acha melhor prefeito do que outro. Vivem fazendo comparações entre suas gestões municipais. Vaidade pura!

Mas, infelizmente, não conseguem vencer essas idiossincrasias.  E não será agora, depois de tantos chãos percorridos, que deixarão sofrer uma metamorfose.

Interessa a Lyra a impopularidade de Queiroz, sim, porque ele enxerga, como todo político que deseja o pior para o adversário, uma luz no fim do túnel para emplacar a sua filha, deputada estadual Raquel Lyra, filiada ao PSB do governador, como plano B para disputar a Prefeitura de Caruaru.

CASTIGO – Se o prefeito de Paulista, Yves Ribeiro (PSB), insistir em  continuar fazendo beicinho ao nome do vereador Júnior Matuto, para disputar a Prefeitura, o governador Eduardo Campos dará a ele um castigo maior do que o de não o receber em audiência há exatos um ano e três meses. Ele vive mendigando uma conversa em Palácio com o governador, mas seus despachos se resumem, no máximo, ao chefe da Casa Civil, Tadeu Alencar. E olhe lá!

A perua do assessor - Marcos Augusto, um dos principais assessores do prefeito de Caruaru, José Queiroz (PDT), confirmou ao jornalista Rubem Júnior, assessor do governador em exercício João Lyra Neto, que o chefe passaria exatamente às 19 horas na confraternização do Grupo Lyra. Mas, como se diz em Caruaru, foi uma perua. Depois, seu celular só dava fora de área.

O candidato do governador - Da Europa, onde relaxa em férias, o governador Eduardo Campos (PSB) ordenou para João Lyra Neto caprichar no ato que preside, hoje, em Serra Talhada, empinando a candidatura do deputado Sebastião Oliveira (PR) a prefeito. Ali, ao lado de Inocêncio Oliveira, Lyra assina a ordem de serviço do asfalto da PE-418, ligando Serra à fronteira com a Paraíba. Na intimidade, o governador só chama seu candidato em Serra de “Sebá”.

Vem troco - O ministro Fernando Bezerra não assimilou as declarações do prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), no ato em que confirmou sua candidatura à reeleição. Lóssio bateu em Eduardo, sugerindo que nada fez por Petrolina nem tampouco o ministro, que, secretário do Desenvolvimento, não levou uma só indústria para o município.

MST dá trégua - O líder do MST em Pernambuco, Jaime Amorim, roubou a cena na confraternização do Grupo Lyra em Caruaru. Paranaense, Amorim mora em Caruaru há mais de 15 anos, já foi preso algumas vezes e diz que deu uma trégua ao Governo Dilma. “O ritmo de desapropriações no Governo Lula foi decepcionante. Estamos quase no fim da trégua a Dilma”, adverte.

 

CURTAS

FALANDO GROSSO - Eleito à revelia do prefeito José Queiroz, o presidente da Câmara de Caruaru, Licius Cavalcante (PCdoB), disse, ontem, à Rádio Cultura, que não tem compromisso com a reeleição do pedetista e que mantém, no momento, uma postura de independência. O que dirá o comando estadual comunista?

DERROTA - O prefeito afastado de Araripina, Lula Sampaio (PSDB), sofreu, ontem, um tremendo revés na justiça federal. Recorreu da decisão do Tribunal Regional Eleitoral, que o afastou por improbidade administrativa há 15 dias, mas não conseguiu a liminar. Resta sabe agora se haverá intervenção estadual.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Se a justiça fosse tão veloz quanto no processo de afastamento do prefeito de Araripina, quantos prefeitos estariam cassados hoje?

''A mulher virtuosa é a coroa do seu marido, mas a que o envergonha é como podridão nos seus ossos''. (Provérbios 12:4)

Publicado em: 23/12/2011