GARANHUNS:"a guerra está declarada"

O prefeito de Lajedo, Antônio João Dourado, já transferiu seu domicilio eleitoral para Garanhuns. A partir de agora, está impedido de disputar um novo mandato em seu município e apto a concorrer na Suíça Pernambucana. A notícia, do blog do jornalista Roberto Almeida diz que um assessor de um político forte local, ao tomar conhecimento desta informação, nem se surpreendeu e revelou: ''Ele (Dourado) já está até com casa alugada em Garanhuns''.

Antônio João está vindo para Garanhuns a fim de ''cumprir uma missão'' dada a ele pelo governador Eduardo Campos. Possivelmente se filiará ao PSB e irá tentar se viabilizar como candidato desse partido à sucessão do prefeito Luiz Carlos de Oliveira. Seus principais escudeiros, a princípio, serão o prefeito de Brejão, Sandoval Cadengue, e o de Palmeirina, Eudson Catão, os dois também muito ligados ao neto de Arraes.

Um dos motivos do lançamento do prefeito de Lajedo como pré-candidato em Garanhuns, segundo foi revelado ao repórter, seria a má utilização de recursos públicos pela atual administração. Daí o governador querer uma pessoa de sua confiança, de modo a investir no município e ver retorno.

A possível candidatura de Dourado encontra resistências por todos os lados. Entre os empresários da cidade, os profissionais liberais, a imprensa e principalmente os partidos. O PSDB deve ter candidatura própria, no caso Aurora Cristina, que faz oposição ao governador. Sivaldo Albino, do PPS, outro oposicionista, também é pré-candidato e dificilmente marchará com o PSB. Alexandre Marinho, coordenador do grupo do PSD na cidade já mostrou ontem à noite, no Hotel Palace, sua posição: é radicalmente contrário a importação de candidatos! O PMDB, que tem em seus quadros o ex-prefeito Ivo Amaral também defende nomes que tenham história no município. O vereador e médico Dimas Carvalho, do PC do B, tem boa ligação com o prefeito Luiz Carlos e deve marchar junto deste. O PHS, à frente Zé da Luz, já avisou que não ''embarca'' nesse projeto palaciano. O vereador Silvio Sabino e o fotógrafo Hélder Carvalho, do PSC e PMN, igualmente devem marchar com o prefeito, com quem têm ligações estreitas. Finalmente o PDT, partido do prefeito, que até sábado vai se posicionar oficialmente e deve comunicar sua posição contrária a candidatura do seu colega de Lajedo.

Se a candidatura de Antônio Dourado for levada à frente e os políticos, empresários e outros segmentos permanecerem no pensamento atual, pode ocorrer em Garanhuns uma grande aliança para enfrentar o candidato de Eduardo Campos. Seria um processo semelhante ao do início da década de 60, quando o povo se revoltou e elegeu Amílcar da Mota Valença, que concorreu enfrentando os governos municipal, estadual e federal.

Dourado pode até ter o apoio das forças federais e estaduais, mas terá bastante dificuldades para ter em seu palanque as estruturas municipais. O deputado estadual Izaías Régis (PTB), que lança sua candidatura à prefeitura nesta sexta-feira, deve bater pesado. É possível até que algumas forças políticas respeitáveis do município cheguem a romper com o governador do Estado.

A guerra está declarada. Eduardo Campos parece querer provocar uma nova hecatombe em Garanhuns.

Do Blog Roberto Almeida

Publicado em: 06/10/2011