Fora do PV, Marina fica sem palanque nas capitais

 Apesar dos 19,6 milhões de votos que recebeu na corrida presidencial de 2010, a ex-senadora Marina Silva (sem partido) corre forte risco de submergir nas eleições municipais do ano que vem, informa reportagem de Bernardo Mello Franco, publicada no portal da UOL. Dois meses depois de sair do PV, ela não tem perspectiva de lançar candidatos de seu grupo político nas quatro maiores capitais que vão às urnas para eleger prefeitos: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador. A possível ausência de palanques e da propaganda de rádio e TV preocupa os ''marineiros''. Reservadamente, alguns já admitem que a perda de visibilidade pode prejudicar o plano de concorrer de novo ao Planalto em 2014.

A ex-presidenciável Marina Silva admite o impasse sobre as eleições municipais, mas diz não estar ''ansiosa'' para lançar candidatos ligados às suas plataformas. “Não estou ansiosa. Não vou forçar a barra para lançar ninguém em 2012. Estarei independente e muito à vontade para apoiar ou não os candidatos que se identifiquem com o nosso programa. Vamos avaliar a situação cidade por cidade.

Aliados estão preocupados com o risco de Marina submergir durante a disputa. Mas ela diz não temer perder o capital eleitoral que conquistou em 2010. “Este capital não pode ser tratado como meu. O voto é do eleitor. Vou contribuir com o processo da forma que achar apropriada. A decisão de não fazer um novo partido de forma apressada é justamente para não fazer mais do mesmo. Quanto ao apoio de candidatos de outros partidos, ela diz: “Ainda não tenho o mapa dos candidatos que vão se comprometer com a plataforma sustentável. Mas não é só uma questão de compromisso verbal”.

Publicado em: 23/09/2011