Dilma: Não à "concorrência desleal" de estrangeiros

A presidente Dilma Rousseff afirmou ontem que a crise econômica que o mundo enfrenta ''é mais complexa'' do que a de 2008, mas ''não ameaça fortemente'' o Brasil.
Em um pronunciamento de 11 minutos ontem à noite em rede nacional de rádio e TV, Dilma usou a mensagem na véspera do 7 de Setembro para falar de sua preocupação com o cenário mundial. ''O mundo enfrenta os desafios de uma grave crise econômica e cobra respostas novas para seus problemas. (...) Os países ricos se preparam para um longo período de estagnação ou até de recessão, mas a crise não ameaça fortemente porque o Brasil mudou para melhor'', disse. Segundo ela, o governo ''não irá permitir ataques às nossas indústrias e aos nossos empregos. Não vai permitir, jamais, que artigos estrangeiros venham concorrer, de forma desleal, com os nossos produtos''.(

Ela citou os bons índices de geração de emprego e renda para reforçar que o Brasil está preparado para enfrentar a crise internacional. ''O crédito continua crescendo e a inflação está sob controle. Os juros voltaram a baixar e a estabilidade da economia está garantida'', disse. Ao dizer que ficar atento à crise internacional não significa ''ficar com medo ou paralisado'', Dilma disse que é preciso ''continuar consumindo'' e que uma das formas de combater a crise é defender o mercado interno.(Folha de S.Paulo)

Publicado em: 07/09/2011