Decisão sai no primeiro turno em 21 Estados

 Na reta final da disputa eleitoral, cresceu o número de estados em que o futuro governador pode ser definido no dia 1º, sem a necessidade de um segundo turno. As últimas pesquisas de intenção de voto do Ibope apontam que em 21 das 27 unidades da federação a disputa deve ser definida em apenas um turno.

Até uma semana atrás, 17 Estados estavam nessa situação. Há ainda os casos do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Norte, onde os líderes na disputa estão no limite para decidi-la.

No Rio, o candidato Sérgio Cabral (PMDB) lidera com 42% das intenções de voto, enquanto o segundo e o terceiro colocados têm 17% cada. Na contagem dos votos válidos, Cabral tem 50% da preferência - para definir a eleição no primeiro turno precisa alcançar 50% mais 1 voto.

No Rio Grande do Norte, a situação é a mesma. O candidato Garibaldi Alves (PMDB), que liderava com folga, agora detém 46% das intenções de voto contra 42% da governadora Wilma de Faria (PSB), que tenta a reeleição. Nos votos válidos, Garibaldi tem 50%, índice que não permite apontar se haverá ou não segundo turno.

Os últimos resultados das pesquisas Ibope consolidam um cenário de alto índice de governadores reeleitos, numa tendência de continuísmo de gestões. Ao todo, 15 governadores devem ser reconduzidos ao cargo - incluindo os casos de Santa Catarina, onde o governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) renunciou para fazer a campanha, e Pernambuco, onde o governador Mendonça Filho (PFL) assumiu o cargo no início do ano, após Jarbas Vasconcelos (PMDB) se desincompatibilizar para disputar uma vaga no Senado.

Os governadores de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), e do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), são os dois com maior índice de aprovação de suas administrações e que devem ser reeleitos com as maiores taxas. Aécio tem 80% dos votos válidos, e Hartung, 77%.

Na configuração partidária dos estados, o cenário permanece praticamente estável. Dos cinco maiores colégios eleitorais do País, os principais partidos da oposição - PSDB e PFL - estão no comando em três e devem ser reconduzidos no primeiro turno: São Paulo, com a vitória de José Serra (PSDB); Minas, com a reeleição de Aécio; e Bahia, onde o governador, Paulo Souto (PFL), tem 57% dos votos válidos.

O PMDB deve continuar no comando dos outros dois maiores colégios: Rio, com o favoritismo de Cabral, e Rio Grande do Sul, onde o governador Germano Rigotto, não tem força suficiente para definir a disputa no primeiro turno, mas nos cenários de segundo turno é vitorioso. O PMDB será o maior vitorioso. O partido está à frente em dez estados. E ainda deve manter o comando político em Pernambuco, onde quem lidera a corrida é Mendonça Filho, que apesar de ser do PFL, é do grupo político de Jarbas, do PMDB.

Só o PSDB chega próximo, com vitória prevista em seis unidades da federação. O PT, do presidente Lula, continua com o governo em apenas três estados: vence no Acre, no Piauí e em Sergipe. As informações são da Agência Estado.

Publicado em: 01/10/2006