Imagem do dinheiro do dossiê é legal, atesta TSE

 O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Marco Aurélio Mello, deu mais uma alfinetada no ministro da Justiça, Márcio Thomás Bastos, ao defender, neste sábado, a publicação das fotos do dinheiro apreendido pela Polícia Federal e que seria usado pelo PT para compra de um dossiê antitucano.

Em tom irônico, comentou: “o quanto belo é a transparência, a evidenciação dos fatos.No âmbito da administração pública, só é possível o acompanhamento via publicidade. O sigilo é exceção. A regra é a divulgação de fatos e dados”. Em relação ao vazamento das imagens e a publicação na imprensa, mesmo que a investigação eleitoral esteja correndo em segredo de Justiça, o presidente do TSE afirmou que o dever de sigilo é daqueles aos quais incumbe a guarda das informações.

“O sigilo, uma vez quebrado e chegando os fatos ao conhecimento dos veículos de comunicação, incumbe a esses veículos de comunicação estampar esses mesmos fatos...sem se cogitar em transgressão à ordem legal” – disse.

Marco Aurélio aprovou decisão de ontem do corregedor substituto da Justiça Eleitoral, ministro José Delgado, que negou o pedido do presidente do PT, Ricardo Berzoini, para que o TSE censurasse as imagens do dinheiro apreendido.

Isso, segundo o presidente do TSE, seria cassar, mas com ‘ç’, as fotos existentes e estampadas nos jornais do sábado. A posição de Marco Aurélio é inversa à do Ministro Márcio Thomas Bastos, que defendeu a não publicação das fotos, sob a alegação que isto teria efeito eleitoral.

O sigilo contrariou a rotina que tem sido seguida pela Polícia Federal, de dar ampla divulgação às suas operações, o que não aconteceu em um caso que, em tese, prejudicaria o PT. As informações são do IG.

Publicado em: 30/09/2006