Bornhausen não confia na imparcialidade do ministro

O presidente do PFL e um dos coordenadores da campanha à presidência de Geraldo Alckmin pelo PSDB, anunciou, na tarde desta segunda-feira, no Rio, que a coligação pediu a investigação criminal do caso da prisão dos dois militantes do PT com R$ 1,7 milhão, que supostamente pagariam um dossiê dos donos da Planam contra o candidato ao governo de São Paulo e ex-ministro da Saúde, José Serra.

Bornhausen disse ao entrar no Centro Cultural da Justiça Federal, no Centro do Rio, onde acontece hoje sessão extraordinária do Supremo Tribunal Federal (STF), que não confia na investigação do governo federal, comanddada pelo ministro da Justiça.

- É muito grave a acusação. Vem, portanto, do Palácio do Planalto a pista e nós queremos que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que é obrigado a zelar pela vigilância do pleito, faça a investigação, já que não confiamos na imparcialidade do ministro da Justiça - acusou Bornhausen, em referência ao ministro Márcio Thomaz Bastos. Informações do JBOnline.

Publicado em: 18/09/2006