TSE quer identificar autores do grampo contra ministros

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Marco Aurélio de Mello, irá solicitar ao Supremo Tribunal Federal (STF) e à Procuradoria-Geral da República (PGR) providências para identificar os responsáveis pela instalação de grampos contra ministros da corte eleitoral e do STF. A informação foi dada nesta segunda-feira pela assessoria de imprensa do TSE, após coletiva do diretor-geral do tribunal, Athayde Fontoura, na qual foram anunciados reforços nos procedimentos de segurança da Casa.

Na sexta-feira, o TSE recebeu relatório feito por uma empresa especializada em segurança que acusou a existência de escutas telefônicas instaladas em linhas utilizadas pelos ministros Marco Aurélio e Cezar Peluso, no STF, e também pelo ministro Marcelo Ribeiro, no TSE. No rastreamento, segundo relatório apresentado pela empresa contratada, a Fense Consultoria Empresarial, não foram localizadas as origens dos grampos ou mesmo possíveis responsáveis.

As comunicações ao STF e à PGR para que sejam tomadas providências no sentido de identificar os responsáveis pelos grampos serão feitas, segundo o TSE, por meio de ofícios que serão encaminhados à presidente do Supremo, Ellen Gracie, e ao procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza. De acordo com Athayde, as varreduras nas linhas do TSE são feitas mensalmente há pelo menos nove anos e, a partir de agora, serão realizadas semanalmente para evitar monitoramento de conversas dos magistrados. Durante o procedimento, cerca de 60 linhas são vasculhadas a um custo aproximado de 250 reais a unidade, segundo o TSE.

- É preciso intensificarmos esse procedimento preventivo - disse o diretor.

Segundo a assessoria de imprensa do STF, a ministra Ellen Gracie, irá esperar comunicação oficial para anunciar providências. Informações do JBOnline.

 

Publicado em: 18/09/2006