Okamotto terá que dar explicações ao Senado

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado aprovou nesta quarta-feira convite para que o presidente do Sebrae, Paulo Okamotto, esclareça à comissão as supostas contradições entre o seu depoimento à CPI dos Bingos e as afirmações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre pagamento de dívida no valor de R$ 24,5 mil ao PT. A dívida seria do próprio presidente da República.

A data do convite a Okamotto ainda não foi definida, mas ocorrerá somente após as eleições. Segundo o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), a oposição quis marcar o convite após o período eleitoral para não ser acusada de politizar a discussão. ''Não queremos ser acusados de subverter o processo em curso. É algo imoral que tem que ser apreciado'', disse.

Já a líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), disse ter convicção que o convite a Okamotto tem intenções eleitorais. ''É requentar, é trazer para o cenário do embate eleitoral um assunto que temos entendimento de que está mais do que esclarecido'', afirmou.

Segundo parlamentares da oposição, o presidente Lula relatou conversa com Okamotto na qual teria autorizado o presidente do Sebrae a pagar a dívida com o PT. Já Okamotto afirmou à CPI dos Bingos que não informou o presidente sobre o suposto pagamento, mas se responsabilizou pela dívida, registrada na prestação de contas do partido.

O presidente do PSDB, Tasso Jereissati (CE), disse que Okamotto mentiu ao Senado Federal, e por isso deve se explicar. ''Ficou claro que ele cometeu perjúrio e isso é o que pode acontecer de mais grave em um depoimento à CPI. Se ele não vier, é a confirmação de grave perjúrio'', afirmou. As informações são da Folha Online.

Publicado em: 06/09/2006