''''Não roubo porque não preciso'''', garante Maluf

 Revista VEJA

 O anúncio feito pela prefeitura de São Paulo na semana passada, de que tentará repatriar 120 milhões de dólares em nome de Paulo Maluf num paraíso fiscal, não parece ter abalado o deputado federal. Em entrevista publicada na atual edição de VEJA São Paulo, Maluf explica por que, mesmo com esta e outras dezenas de acusações, quer voltar a ser prefeito da capital paulista. Com 8% das intenções de voto e uma impressionante taxa de rejeição de 51%, ele tem, entre seus planos, um projeto de colocar uma laje sobre o Rio Tietê, para melhorar o trânsito. Confira trechos da conversa:

Veja São Paulo – O maior problema da cidade hoje é o trânsito?
Maluf – É o único. O ú-ni-co! Hoje não existe horário de pico. Você enfrenta congestionamento 24 horas. Graças a Deus, tenho uma trajetória de audácia. Quando construí o Aeroporto de Guarulhos, a Rodovia dos Imigrantes e a dos Tra-balhadores, hoje Ayrton Senna, por exemplo, as obras foram classificadas como faraônicas. Agora tenho mais um projeto ambicioso.

Veja São Paulo – Que projeto?
Maluf – Construir uma laje sobre o Rio Tietê para aumentar cinco ou seis faixas de tráfego de cada lado, invadindo o rio, sem semáforos, para os carros circularem a 100 quilômetros por hora. Se olhar o tampão que fiz no Tamanduateí, é a mesma coisa.

Veja São Paulo – Não teríamos mais rio para ver?
Maluf – Um pedaço. Mas, se pensar, não é mau abafar aquele cheiro desgraçado.

Veja São Paulo – O que passa por sua cabeça quando ouve a frase "Maluf rouba, mas faz"?
Maluf – Essa é uma frase de quem não sabe fazer. Fiz muitas obras e não roubei. E não porque, como católico, sou um fiel observador dos Dez Mandamentos. Eu não preciso. Meu pai era dono da maior serraria da América Latina. Quando entrei na política, eu e meu irmão Roberto já éramos donos da Eucatex. Se tivesse algum interesse econômico, não entraria na política. Quando presidente da Caixa Econômica, em 1967, eu era mais rico do que hoje. Em quarenta anos, derreti.

Publicado em: 29/06/2008