Novas denúncias complicam filho do ministro Lobão

 Novos fatos sobre o intrincado esquema de funcionamento das empresas da família Lobão, no Maranhão, explicitam as contradições de Edison Lobão Filho (DEM), que deverá assumir a vaga do pai no Senado. A posse do senador Edison Lobão (PMDB) como ministro de Minas e Energia é segunda-feira. Agora, são procurações falsas que reforçam a suspeita de que Lobão Filho ainda tem o controle das distribuidoras de bebidas que respondem a processo por sonegação de R$ 42 milhões, das quais diz que se desligou em 1998.

Três anos e meio depois de Lobão Filho ter deixado oficialmente a sociedade na Bemar Distribuidora de Bebidas, seu tio, Neuton Barjona Lobão Filho, continuava atuando na firma, beneficiado por procurações outorgadas por Maria Lúcia Martins e por José Luiz Ferreira Gomes. Maria Lúcia é uma empregada doméstica que teve sua assinatura falsificada tanto para se tornar sócia da distribuidora quanto para passar a procuração. O Ministério Público do Maranhão acredita que Ferreira Gomes é um laranja que gere e administra a empresa com Marco Antonio Pires Costa e Marco Aurélio Pires Costa, amigos de Lobão Filho.

As procurações, como atesta laudo da Receita Federal de agosto de 2006, são falsas, o que pode complicar ainda mais a defesa de Edinho, como é conhecido o filho do futuro ministro. Ele disse, por meio de sua assessoria, desconhecer o fato.(Informações de O Estado de S.Paulo)

Publicado em: 19/01/2008