Pau neles!

 Carlos Chagas - Tribuna da Imprensa

Tivemos, na primeira semana do ano, mais um exemplo de como é inócuo, perigoso e até vergonhoso dialogar com bandidos. Voltaram aos países de origem representantes internacionais de governos democraticamente constituídos, dada a fracassada tentativa de libertação de três reféns das Farcs. Não cumpriram sequer a metade do prometido, esses ditos integrantes do exército de libertação da Colômbia, na verdade um bando de trapaceiros e traficantes de drogas.

Alegando pretextos pouco claros, as Farcs enganaram e humilharam governos como os da França, Argentina, Brasil e Venezuela. Até o assessor internacional do Lula, Marco Aurélio Garcia, sacrificou a passagem do ano com a família para instalar-se numa tapera no meio da selva amazônica, entre mosquitos de toda ordem, à espera do resgate que não se completou.

 As Farcs não soltaram sequer três reféns, das muitas dezenas que mantém em cativeiro há anos. Mostraram, como já sabíamos, que em bandidos não se pode confiar. A tal Operação Emmanuel resultou numa lambança sem par, onde sobrou vergonha até para a Cruz Vermelha Internacional, também presente e exposta ao ridículo.

Aguardam-se novos capítulos dessa novela de horror. Pode ser que os seqüestradores venham a propor novos entendimentos, quase com toda certeza para frustrá-los mais uma vez. Mesmo que soltem os reféns no meio da floresta, serão inconfiáveis, pois pretenderam e estão conseguindo o único objetivo real a que se propuseram: ganhar a mídia internacional.

Aqui para nós, com esse tipo de rebelião mesclada ao crime hediondo de traficar drogas, só existe uma solução: pau neles.

Publicado em: 07/01/2008