Coluna da quinta-feira

Bolsonaro e o eleitor lulista

Na visita a Pernambuco, hoje, o presidente Bolsonaro vai sentir de perto, mais uma vez, que a receptividade ao seu Governo melhorou muito no Nordeste, reconhecimento que parte até de quem está no campo da oposição quando essa leitura se relaciona ao programa emergencial de ajuda aos que perderam o emprego informal na pandemia do coronavírus mediante uma bolsa mensal de R$ 600. Pelo menos, mais de 60 milhões de brasileiros estão sendo contemplados.

O valor por família pode chegar até R$ 1,8 mil, caso o pai, a mãe e o filho numa mesma casa recebam a ajuda e isso tem sido observado em várias partes do País, especialmente no semiárido nordestino. Ao lado disso, o Governo ampliou também o programa Bolsa-Família, responsável pela popularidade do ex-presidente Lula, que em breve deve ser substituído pelo Renda Brasil, com as mesmas características e mecanismos de fiscalização mais consistentes.

Em entrevista, ontem, ao Frente a Frente, o presidente da Embratur, Gilson Neto, chegou a afirmar que o presidente está com tamanha aceitação que grande parte do eleitorado lulista no Nordeste migra para Bolsonaro. “Eu não tenho dúvida de que o eleitor cativo de Lula virou bolsonarista”, afirmou, adiantando que essa prova dos sete tem tirado nas recentes viagens a vários Estados nordestinos, como a Bahia, Alagoas, Rio Grande do Norte e Paraíba.

“Qual o presidente que ousa em pousar numa área do Nordeste que não estava em seu roteiro, ir diretamente para um bar, se misturar com o povo e não receber nenhum gesto de hostilidade? Pelo contrário, ser festejado por todos e abraçado. Isso é prova de que o povo está em sintonia com o seu Governo, voltado para a maioria”, destacou. Para o presidente da Embratur, a aprovação do Governo e o modo dele de administrar o País estão comprovados também em pesquisas de opinião.

Mesmo em alta, o presidente está irredutível diante da decisão já tomada, lá atrás, de não se envolver na eleição municipal em nenhuma das capitais, nem mesmo o Rio, sua principal base eleitoral, por onde conquistou todos os seus mandatos de deputado federal. Quem projetava contar com o seu apoio, segundo Gilson, pode tirar o cavalinho da chuva.

Roteiro – Está fechada a programação oficial do presidente, hoje, em Pernambuco. A aeronave presidencial pousa em Campina Grande por volta das 9h30h e de lá ele segue de helicóptero para a cidade de São José do Egito, no Sertão do Pajeú, onde inaugura a Adutora do Pajeú e dá autorização para o início da terceira etapa do mesmo sistema adutor. Após a cerimônia, o presidente faz uma visita de inspeção às obras do Ramal do Agreste no município de Sertânia, Sertão do Moxotó. É possível que de lá, antes de regressar para Campina Grande, para pegar o avião de volta a Brasília, faça um sobrevoo no polo de confecções de Santa Cruz do Capibaribe, onde o apresentador Ratinho, do STB, faz um investimento da ordem de R$ 30 milhões num shopping popular.

Mais água – A primeira visita de Bolsonaro ao Estado foi em maio de 2019. Na ocasião, o presidente participou de uma reunião com governadores do Nordeste no Recife. Ele também foi a Petrolina, no Sertão, para inaugurar uma obra habitacional. De acordo com a Compesa, serão beneficiados ao todo 290 mil moradores das cidades de Floresta, Carnaubeira da Penha, Serra Talhada, Calumbi, Flores, Carnaíba, Quixaba, Afogados da Ingazeira, Iguaracy, Ingazeira, Tuparetama, Tabira, São José do Egito, Itapetim e Santa Terezinha. A obra da segunda etapa começou em março deste ano. É esperado que a oferta de água aumente em 78% para a região. Isso porque a vazão do sistema passará de 290 para 480 litros por segundo. A captação é realizada no Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco.

Cai exclusividade– O plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu, por unanimidade, que é inconstitucional a exclusividade da União sobre a exploração de loterias. O julgamento ocorreu, ontem, e envolvia uma série de processos sobre o tema. Com isso, os governos estaduais e o do Distrito Federal também podem gerenciar a atividade. A Suprema Corte entendeu que União é que tem a tarefa de regulamentar e estabelecer o sistema de loterias, mas não a exclusividade da exploração. Cabe, no entanto, às unidades federativas, obedecer às normas federais.

Morte e débito – A Fazenda Haras Vovó Zito, onde um eletricista de 31 anos foi assassinado após cortar a energia do local, tem uma dívida de R$ 28 mil com a Celpe. No imóvel, às margens da rodovia PE-95, na zona rural de Limoeiro, no Agreste, José Reginaldo de Santana Júnior e um técnico de eletrotécnica de 39 anos foram alvo de ameaças e tentativa de suborno antes do crime ocorrido na tarde de terça-feira passada.  A TV Globo teve acesso ao depoimento do técnico da Celpe à Polícia Civil. Na delegacia do município, a testemunha do assassinato contou ao delegado Fabrício Pimentel que chegou à fazenda, junto com o colega José Reginaldo, por volta das 14h17, em uma caminhonete da companhia. A porteira estava destrancada e eles foram conferir o medidor, verificando que a medição do imóvel não tinha irregularidades.

CURTAS

OFERTA DE PROPINA – No depoimento, o técnico relatou que, enquanto realizava a suspensão do fornecimento de energia da fazenda, uma mulher que estava dentro da residência informou que o proprietário do imóvel estava no centro da cidade, mas voltaria em breve. Em seguida, a esposa do proprietário do imóvel chegou ao local e permaneceu em silêncio. Ainda de acordo com o relato do técnico da Celpe, enquanto ele e José Reginaldo recolhiam o material para irem embora, chegou ao local um homem que trabalhava na fazenda, que estava falando no telefone com alguém, e disse à dupla: “Religa a energia que nós vamos dar um negocinho para vocês”. O técnico contou à polícia que ele e o colega negaram a oferta e, quando estavam saindo do local, chegou o proprietário da fazenda, que ofereceu dinheiro para que religassem a energia do imóvel, sendo a oferta novamente recusada.

HORA DO CRIME – Segundo o depoimento, nesse momento, o proprietário entrou na casa e os funcionários da Celpe voltaram para a caminhonete da empresa, mas perceberam que a porteira estava trancada com cadeado. Conforme informado pelo técnico da Celpe ao delegado, quando voltaram a casa para pedir a chave, o proprietário veio ao veículo da companhia com um revólver na cintura e uma arma longa na mão apontando para a dupla, ordenando que os dois funcionários da Celpe jogassem os celulares para fora do veículo. Também de acordo com o depoimento do técnico, o proprietário apontou a arma para José Reginaldo e disse para ele religar a energia e o eletricista obedeceu e desceu do veículo, mas foi baleado quando estava próximo ao porta-malas.

Perguntar não ofende: Como Bolsonaro será recepcionado hoje em Pernambuco?

Publicado em: 01/10/2020