Motoristas e cobradores paralisam atividades no Recife

Do G1/PE

Motoristas e cobradores paralisaram as atividades em um protesto realizado hoje, na região central do Recife. Ônibus foram estacionados nas avenidas Conde da Boa Vista, Guararapes, Cruz Cabugá e Agamenon, entre outras vias, devido ao ato.

Segundo o Sindicato dos Rodoviários, a manifestação foi convocada para alertar sobre as demissões que aconteceram recentemente na categoria e também contra o acúmulo de funções pelos motoristas e retirada dos cobradores dos coletivos.

Os ônibus começaram a ser estacionados por volta das 7h30. Com isso, os passageiros tiveram de descer e seguir a pé o percurso em diversos pontos da região central da capital, como a partir do Shopping Tacaruna, na Avenida Cruz Cabugá, e nas imediações da Praça do Derby.

A aposentada Josefa Quitéria da Silva estava a caminho da fisioterapia, quando foi informada que o coletivo não iria até o local onde ia ser atendida. "O ônibus está de greve e todo mundo voltando. Eu estou operada e esperava descer logo na entrada", contou.

O protesto de hoje é relacionado ao ocorrido no dia 21 de setembro, que deixou ônibus sem circular na região central da capital até pouco após as 13h.

Em ambos os atos, os rodoviários pediram pela aprovação de um projeto de lei em tramitação da Câmara do Recife que proíbe o acúmulo de função por motoristas e cobradores. Previsto para ser votado no dia 21, o projeto foi tirado de pauta por falta de quórum, segundo a Câmara.

A Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) informou, por volta das 7h50, que a Avenida Conde da Boa Vista foi interditada entre as ruas do Hospício e Aurora, no sentido centro da cidade. De acordo com a CTTU, agentes de trânsito orientaram que motoristas desviem pela Rua Gervásio Pires.

Às 8h48, devido à manifestação, uma faixa da pista local e da pista principal da Avenida Agamenon Magalhães foi interditada em cada um dos sentidos. O trânsito era intenso na altura da Praça do Derby, segundo a CTTU.

O Grande Recife Consórcio de Transporte afirmou, por meio de nota, que não foi comunicado sobre o ato e busca "alternativas para o desvio do itinerário das linhas que passam pela localidade com o objetivo de minimizar os impactos deste protesto para os usuários".

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) informou, por meio de nota, que não foi avisado sobre a paralisação, que não houve tentativa de diálogo prévio e "que tomará as medidas necessárias para evitar novos transtornos à população". O G1 perguntou sobre as demissões realizadas nas empresas nos últimos meses, mas a Urbana não respondeu.

Publicado em: 28/09/2020