PCR e Humanize investigados por não pagar funcionários

EXCLUSIVO

Não é apenas a Polícia Federal, MPF, CGU, Ministério Público de Contas e TCE que investigam a organização social (OS) Instituto Humanize, responsável pelo hospital da campanha da Imbiribeira (HPR3) da Prefeitura do Recife (PCR). 

O Ministério Público do Trabalho (MPT) no Recife, ramo do Ministério Público da União, também investiga o Instituto Humanize, após denúncias que trabalhadores do HPR3 não estariam recebendo todos os direitos trabalhistas e que a Prefeitura do Recife estaria sendo omissa na fiscalização dos pagamentos dos direitos dos trabalhadores.

Há inquérito no MPT (Inquérito Civil número 1265/2020) já instaurado após denúncias contra a PCR e Humanize. A investigação está sobre a responsabilidade de uma procuradora do trabalho do Recife.

Segundo uma fonte, há indícios que possível desvio de verba, pois há suspeita que a OS não estaria pagando os direitos trabalhistas dos trabalhadores (FGTS, previdência e outros), ficando com a verba.

Outro ponto no inquérito é que a PCR supostamente estaria se omitindo na fiscalização dos pagamentos das verbas trabalhistas.

A PCR, caso a OS não pague os trabalhadores, pode ser condenada na Justiça do Trabalho a pagar as verbas.

Publicado em: 16/09/2020