Coluna da quarta-feira

Daniel não é candidato

Isolado, sem apoios, só resta a Daniel Coelho retirar sua pré-candidatura a prefeito do Recife pelo Cidadania. A política não é um exercício solitário, exige a conjugação do verbo somar para se formar um exército no enfrentamento às urnas como uma batalha mortal. O próprio Daniel já provou do veneno do isolamento lá atrás quando disputou a Prefeitura em outras situações menos adversas e acabou sendo derrotado.

O que não se sabe, no entanto, até agora é sobre o seu destino nas eleições municipais, se encampa o bloco em apoio a Mendonça Filho (DEM), que se fortaleceu com o apoio do PL, ou se abraça com o projeto da delegada Patrícia Domingos, que deve ser oficializada candidata em convenção pelo Podemos, também em ato online como determina as novas regras eleitorais em tempos de pandemia.

A delegada é bem próxima a Daniel, já foi homenageada pela Câmara dos Deputados por iniciativa dele e não terá problemas num entendimento com ela, já que revela ter dificuldades em seguir com o mesmo bloco que está sendo montado para fortalecer a candidatura de Mendonça Filho. Recolhido em casa, Daniel avalia qual o cenário mais confortável, mas tem a torcida de muitos para marchar com Mendonça e não com a delegada.

Fala-se que poderia indicar o vice do democrata, mas por enquanto se manifesta apenas informando que continua no páreo, quando isso não é verdade. Ele só não joga de imediato a toalha porque segue a máxima de Marco Maciel, que deixou a lição de que em política quem tem prazo não tem pressa.

Daniel é um quadro valoroso da política estadual e tem presença nacional. Só precisa fazer o jogo certo nas eleições municipais para não se complicar, dois anos depois, na reeleição de federal, projeto que é o mais sólido, correto e que garante sua permanência na vida pública.

MESMO DESTINO – Quem também deve jogar a toalha no Recife é o pré-candidato do PDT, Túlio Gadelha. Apesar de ter o aval nacional do partido, dado pelo presidente Carlos Lupi, ninguém acredita que o próprio Lupi banque essa aventura até o fim. Em live recente deste blog, Lupi, aliás, se rasgou em elogios ao pré-candidato do PSB, João Campos, ressaltando que poderia ser uma opção para o partido diante da estratégia nacional de PDT e PSB de se unirem num mesmo palanque nas eleições presidenciais de 2022 em apoio ao ex-ministro Ciro Gomes, já em pré-campanha ao Planalto.

ABAIXO, LAMPIÃO! – Nem parece que Serra Talhada é terra de Lampião, difusor da tese de que lugar de mulher é na cozinha. O pleito municipal deste ano, marcado para 15 de novembro, será disputado entre duas mulheres: Márcia Conrado (PT), ex-secretária de Saúde do prefeito Luciano Duque, e Socorro Brito (Avante), esposa do ex-prefeito Carlos Evandro, que terá como vice também uma mulher, a advogada Eliane Oliveira, presidente municipal do PSL. “A vez é das mulheres”, diz o deputado federal Sebastião Oliveira, o Sebá, que teve seu nome cotado para entrar na disputa e acabou costurando a candidatura de Socorro, secretária bastante atuante nas duas gestões de Carlos Evandro.

MIGUEL 2022 – Na entrevista que concedeu, ontem, ao Frente a Frente, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), comemorou os altíssimos índices de aprovação da sua gestão, quase 90% de ótimo e bom. Mas negou que tenha projeto para disputar o Governo do Estado em 2022, caso venha a sair das urnas reeleito e na condição de um dos mais votados do Estado. Mesmo que não tenha mesmo essa pretensão, até pela idade – é um dos gestores mais jovens do Estado, com apenas 30 anos, será visto como um quadro de renovação da velha política mofada de Pernambuco. Com quase 400 mil habitantes, a Petrolina que Miguel administra é o maior colégio eleitoral do Sertão e sua economia está concentrada principalmente na indústria da fruticultura irrigada, com destaque para as exportações de manga e uva, responsáveis por uma movimentação da ordem de R$ 2 bilhões/ano.

NOVO VICE – Miguel deve mexer na sua chapa da reeleição, trocando a atual vice Luska Portela, do DEM, indicada pelo ex-deputado Guilherme Coelho. O novo a ser escolhido em substituição a ela deve sair dos quadros executivos próximos ao prefeito. Essa mudança, entretanto, tem que ocorrer até o próximo dia 16, quando se encerra o prazo para realização das convenções. A mudança também se impõe pelo fato do prefeito ter formado a maior frente partidária em torno da sua reeleição e isso implica em cobranças dos novos aliados na participação da chapa. O que soube, na minha passagem pelo polo Petrolina-Juazeiro, é que Miguel já está costurando nos bastidores o entendimento para se chegar a um nome consensual em substituição a atual vice.

CINTRA COTADO – Já em Caruaru, a prefeita Raquel Lyra (PSDB) costura a mudança do seu atual vice Rodrigo Pinheiro, também tucano. O que levantei é que o nome mais cotado é o do empresário Douglas Cintra, ex-senador em substituição a Armando Monteiro quando este se licenciou para ocupar o Ministério de Dilma. Cintra também fez uma excelente gestão no curto espaço em que esteve no comando da Sudene e por isso teria todas as credenciais para suceder a Raquel, caso esta, reeleita, seja convocada para disputar o Governo do Estado em 2022.

FRENTE A FRENTE COM BARROSO – A tão aguardada live com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luis Roberto Barroso, ministro do STF, acontece hoje via You Tube deste blog com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio, formada por 42 emissoras, tendo como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, no Grande Recife, e já presente em três Estados nordestinos – Pernambuco, Alagoas e Bahia. Barroso vai tirar todas as dúvidas em relação a um processo eleitoral em meio à pandemia do coronavirus, já com horário de votação ampliado e cuidados para evitar aglomerações em filas de votação. Quem quiser fazer perguntas a Barroso pode mandar, antecipadamente, pelos números (81) 999944888 ou 982224888.

Perguntar não ofende: O Rio vai abrir o impeachment do prefeito Crivella? 

Publicado em: 01/09/2020