Coluna da sexta-feira

Não há razão para queda de Mendonça

Cada pesquisa tem suas particularidades, mas um dado surpreendeu na pesquisa do Potencial postada ontem neste blog sobre a sucessão no Recife: a perda de cinco pontos percentuais por parte do pré-candidato do DEM, Mendonça Filho, que sempre apareceu bem, situado entre 12% e até 14%, chegando a liderar em alguns levantamentos. Não vi nenhum fato novo para puxar o democrata para baixo. Variações em pesquisas acontecem em cima de fatos, ruins ou bons. Nada disso foi visto para atingir Mendonça.

Pelo contrário, o democrata tem sido, dentre todos os pré-candidatos, o que mais tem ocupado o noticiário com bombardeios à gestão Geraldo Júlio. Firme e corajoso, Mendonça abriu várias frentes em defesa do Recife, contra equívocos e imoralidades praticadas na gestão socialista, já objeto de cinco operações da Polícia Federal. Também não se viu nada que atingisse a sua imagem de forma negativa. Mendonça tem feito o bom combate, está atento a tudo que contraria os interesses da grande massa da população recifense.

Nunca contestei pesquisas, principalmente sendo postadas neste blog com exclusividade. Mas, insisto, queda em pesquisa não se dá sem fato relevante. Quanto aos demais números, nada de novidade. Apenas algumas conclusões óbvias: a delegada Patrícia Domingos, pré-candidata do Podemos, que oscilou positivamente um ponto percentual, se mantém firme em segundo lugar revelando que tem gordura eleitoral e chances de crescer mais.

Dependerá, especialmente, da forma como conduzirá a campanha. Tem que apresentar, por exemplo, um projeto para o Recife ao invés de insistir no samba de uma nota só em cima do combate à corrupção. Marília Arraes, que lidera, dá sinais de que o PT e não ela têm teto, que parece já ter sido alcançado. Sua grande vulnerabilidade é o próprio partido, carimbado como a legenda da corrupção e da roubalheira nos Governos de Lula e Dilma.

Quanto a Daniel Coelho, que recuou um ponto, saindo de 10% para 9%, precisa dá uma demonstração mais clara de que quer ser mesmo de fato candidato, porque até agora sua pré-campanha é muito tímida, quase não existente. Se receber o apoio do PSL, de Luciano Bivar, como se especula, pode fazer o diferencial entre os demais pré-candidatos da oposição.

Por fim, há um fato que precisa ser lembrado também: dentre os pré-candidatos, o eleitor não identificou ainda qual esteja alinhado ao Palácio do Planalto. Bolsonaro vive um momento bom do seu Governo e para onde pender no Recife pode levar o seu eleitorado cativo. Há quem diga que o presidente não irá se envolver na eleição municipal. Custo acreditar, até porque se essa onda positiva do seu Governo se confirmar, não perderá a oportunidade de ser cabo eleitoral influente.

Leitura do Potencial – Numa análise, ontem, sobre a pesquisa no Recife, o diretor do Instituto Potencial, Zeca Martins, não justificou a queda de Mendonça Filho. Veja o que ele disse: “A candidatura de Marília Arraes (PT) dá sinais de força e consolidação, a da delegada Patrícia Domingos (Podemos) chama atenção pela resistência. E o avanço positivo, mesmo que discreto, de João Campos (PSB). A pesquisa também revela uma queda dos pré-candidatos tradicionais da direita recifense, Daniel Coelho (Cidadania) e Mendonça Filho (DEM)”. Zeca pode ter lá suas razões, até pela sua longa história em avaliações de cenários, mas faltou elencar mais razões para identificar essa queda de Mendonça.

Dificuldades – Ainda de Zeca Martins sobre a pesquisa: “Alguns aspectos do cenário político nos últimos anos nos ajudam a entender os resultados da pesquisa neste momento. Primeiro percebe-se claramente as dificuldades que o governador e o prefeito vêm enfrentando, prejudicando o candidato da situação João Campos (PSB), que não consegue avançar apesar do potencial, demorando a assumir e definir uma personalidade governista em virtude do desgaste das gestões do PSB. A pré-candidata do PT, Marília Arraes, surge no campo da centro-esquerda com grande potencial. Saiu na frente dos adversários iniciando a pré-campanha antes da pandemia, é percebida como alternativa para o Recife avançar em questões sociais”.

Protagonismo – Zeca faz suas conclusões assim: “A delegada Patrícia Domingos pode ser o fato novo e traz consigo referências de um discurso bolsonarista, embora sem assumir. Apesar da suposta autoridade, é frágil, ainda sem estrutura eleitoral e não conhece a cidade. As candidaturas de Daniel Coelho e Mendonça Filho refletem um caso claro de dois pré-candidatos que estão perdendo o protagonismo em meio a um debate de quase um ano e indefinição de quem apoia quem ou se mantém candidaturas independentes. Se disputassem juntos, admitindo uma candidatura com os dois, poderiam tentar surpreender”.

Vazamento – Em ofício encaminhado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) na última quarta-feira (19), a ministra Damares Alves pediu apuração do vazamento de dados sigilosos sobre a menina de dez anos que engravidou após ser estuprada pelo tio, em São Mateus, no Norte do Espírito Santo. Damares solicitou ao ministro André Mendonça o encaminhamento do caso à Polícia Federal, além da articulação com a Polícia Judiciária do Estado do Espírito Santo para o possível indiciamento dos responsáveis. Já no Recife, a vereadora Aline Mariano (PP) protocolou notícia-crime no MPPE com o objetivo de garantir mais rigor na investigação que vai apontar se houve vazamento da informação acerca da chegada da menina capixaba no Cisam e quem seriam os responsáveis por repassar que a criança estava na unidade de saúde a ponto de promover aglomerações em frente ao hospital.

CURTAS

BOM VICE – Em Paulista, onde lidera todas as pesquisas de intenção de voto para voltar a governar o município, o pré-candidato do MDB, Yves Ribeiro, acertou em cheio na escolha do seu companheiro de chapa: o jovem empresário Dido Vieira, também filiado e militante do MDB. Investe em vários setores no Estado, inclusive na rede hoteleira e no turismo naquele município, um dos mais importantes colégios eleitorais do Estado na RMR, beirando os 220 mil eleitores. Dido agrega o eleitorado jovem. Bem articulado, deu substancial ajuda a Yves na montagem do seu programa de Governo para que o município se reencontre com o desenvolvimento. 

LIVE COM LUPI – O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, confirmou, ontem, sua participação na live deste blog da próxima segunda-feira, para falar de eleições municipais e a presença do partido nas principais capitais, com destaque para o Nordeste. Será às 18 horas com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio, no espaço do programa Frente a Frente, cuja cabeça de rede é a Hits 103,1 FM, no Grande Recife.

Perguntar não ofende: O Recife caminha para um embate entre a mesma família Arraes?

Publicado em: 20/08/2020