CNJ deve afastar desembargador que humilhou guarda

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) agendou a sessão que vai julgar o caso envolvendo o desembargador paulista Eduardo Siqueira para o próximo dia 25. Em julho, o magistrado foi flagrado sem máscara na orla de Santos, onde caminhava, além de ser visto humilhando o guarda civil Cícero Hilário, responsável pela abordagem.

A tendência é de que o CNJ abra um procedimento contra o desembargador, segundo integrantes do colegiado, com afastamento imediato de Eduardo Siqueira do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP). O caso está sob avaliação do corregedor do Conselho, ministro Humberto Martins, que analisa se o magistrado cometeu uma “carteirada”, crime previsto na Lei de Abuso de Autoridade.

No vídeo que correu a internet, é possível ver o desembargador tentando intimidar o guarda civil, além de proferir ofensas. No último dia 5, Siqueira foi visto novamente sem máscara na praia, descumprindo decreto municipal que torna obrigatório o uso da proteção em lugares públicos.

Publicado em: 13/08/2020