Célia anula instalação de CPI em Arcoverde

Não bastasse faltar a sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Arcoverde, ontem, e não instalar a Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar desvios no governo Madalena Britto (PSB), a presidente da Câmara, vereadora Célia Galindo (PSB), baixou o decreto nº 001/2020, na manhã de hoje, tornando nula as decisões tomadas no plenário da Casa James Pacheco.

O decreto visa enterrar a CPI que tinha por objetivo investigar várias denúncias de desvios de recursos públicos no âmbito da Secretaria de Assistência Social e Cidadania de Arcoverde.

Na sessão de ontem, o vice-presidente da casa, vereador Everaldo Lira (PTB), na condição de presidente em exercício, fez a indicação dos membros da CPI, ficando a presidência para a vereadora Cybele Roa (Avante), Zirleide Monteiro (PTB) na relatoria e Heriberto do Sacolão (PTB) como secretário. Todos os vereadores do PSB faltaram à sessão.

Para a vereadora Zirleide Monteiro, é um verdadeiro atestado de culpa que a prefeita Madalena e a presidente da casa estão passando. “Acham que o povo vai ficar calado diante desse absurdo. Dinheiro do povo foi parar no bolso de terceiros e isso precisa ser esclarecido. A presidente com seu decreto atestou que a podridão dentro do governo não aguenta uma simples CPI; que transparência é só peça de propaganda” disse.

Publicado em: 11/08/2020