A noite em que o mar virou sertão

Por Roberto Vieira

Já são mil noites que o norte relampeia já são mil noites de corisco e trovão já são mil noites de martelo agalopado já são mil noites de litorânea ambição mas hoje é festa de xaxado e baião pois foi a noite que o mar virou sertão…

Não foi Central de vitalina melodia nem Limoeiro do coroné Chico Heráclito não foi Vitória de pituzeira alegria nem Petrolina das carranca rio abaixo…

Já são mil noites que o norte relampeia já são mil noites de corisco e trovão já são mil noites de martelo agalopado já são mil noites de litorânea ambição mas hoje é festa de xaxado e baião pois foi a noite que o mar virou sertão…

Não foi Estudantes nem a Aga nem Retrô nem Serra Talhada do bandido Lampião não foi Bonito nem Afogados, seu dotô, nem o Flamengo de Arcoverde campeão...

Já são mil noites que o norte relampeia já são mil noites de corisco e trovão já são mil noites de martelo agalopado já são mil noites de litorânea ambição mas hoje é festa de xaxado e baião pois foi a noite que o mar virou sertão…

Quis o destino severino joão cabral em sua casa o tricolor se desse mal invicto nas pelejas com os rivais da capital justamente com o Salgueiro se deu mal...

Já são mil noites que o norte relampeia já são mil noites de corisco e trovão já são mil noites de martelo agalopado já são mil noites de litorânea ambição mas hoje é festa de xaxado e baião pois foi a noite que o mar virou sertão...

Publicado em: 07/08/2020