Coluna da segunda-feira

Estado continua sem oposição

Há muito, não existe oposição em Pernambuco. Bons tempos aqueles em que Marcos Freire foi às ruas com “sem medo e sem ódio”, tentando levar a esquerda ao poder. Na verdade, o chamado partido único, dos deputados lagartixas, se instalou na era Eduardo Campos a partir do momento em que trouxe para o lado do seu balcão, eleito governador, o ex-governador e hoje senador Jarbas Vasconcelos, derrotado por ele e que deixou de cumprir o destino que as urnas a ele impuseram, jogado no balcão vigilante do contraponto ao Governo, que trocou em nome de um discurso de pacificação das forças estaduais.

De lá para cá, oposição virou sofisma, letra morta, tanto na Assembleia Legislativa quanto na bancada federal, em Brasília. Até a Câmara do Recife, sob o regime socialista, exercita o discurso do “sim, senhor”. Quer o exemplo mais recente de que não existe oposição? Ao longo da semana que passou, este blog reverberou a insatisfação do povo pernambucano com o estado precário e de abandono das estradas estaduais. Do litoral ao Sertão, a malha viária do Estado virou pó. No lugar do pavimento, uma buraqueira infernal.

Até estradas por onde flui o intenso tráfego de turistas, uma média de um milhão por mês, como Porto de Galinhas, viraram o cartão mais vergonhoso das boas-vindas aos que visitam o Estado em busca de relaxe, prazer, curtição e tranquilidade. É o caso, por exemplo, da Estrada de Muro Alto. Segundo o blog apurou, o Estado investiu R$ 1,7 milhão nas obras de pavimentação de um trecho de apenas três quilômetros, há menos de um ano, e a via já está intransitável, tábua de pirulito.

Neste blog, por iniciativa dos leitores, foram postados mais de 20 vídeos ao longo da semana, mostrando o caos que tomou conta das estradas no Sertão, Agreste, Zona da Mata e Litoral. E os deputados, votados nesses municípios, como reagiram? Adotaram a lei do silêncio para não contrariar o Governo, julgado por eles como ótimo, mas que as últimas pesquisas apontaram a realidade: Paulo Câmara já aparece, hoje, com percentuais de desaprovação maiores do que o presidente Jair Bolsonaro.

Triste de um Estado que a voz de oposição emudece na hora em que o povo mais precisa. Estrada é uma necessidade tão premente para quem mora longe da capital como a saúde e a educação. É um bem público, um equipamento de primeira necessidade. Mal tratado, como se encontra, é um risco à vida de qualquer cidadão. Quantas almas já não foram chamadas à eternidade precocemente por irresponsabilidade do Governo com as estradas?

Não existem políticas públicas de segurança eficazes sem estradas de qualidade. Mais importante neste ano eleitoral em curso é que a população desperte de que a melhor política é a conscientização popular. Em período político, a maioria dos candidatos possui na ponta da língua a solução para todos os problemas. E assim será eternamente! Essa é a isca mais antiga da humanidade. Falar o que os outros querem ouvir, sem pretensão alguma de pôr em prática.

Andarilho pelo ofício da profissão, só me resta tomar as dores de todos os pernambucanos injuriados com essas estradas esburacadas e com a ausência de quem os defenda e bata nesse governo sem compromisso com o social. Na verdade, esse é um Governo com palavras que saem da boca de verme, contraditório, sem moral e ética política, estúpido. Acha que todos são ignorantes. Ignora que essa é a verdadeira face de gestão podre, que só sabe fazer politicagem da mais baixa espécie possível.

VIROU UM INFERNO – Entre as estradas, a pior sem dúvida é a BR-232, ligando Recife a Caruaru. Trafegar por ela é um carimbo do passaporte à morte: crateras, falta de iluminação, asfalto cheio de ondulações. Quando chove, os acidentes se multiplicam de forma fatal, tirando muitas vidas. Até hoje, desde a sua construção no Governo Jarbas, usando o dinheiro da privatização da Celpe, nenhuma melhoria foi feita em sua malha. A estrada é um abandono completo, uma tristeza, quando poderia ser a mais tranquila e segura se de fato sua obra de engenharia refletisse seriedade e compromisso com a população viajante.

CRATERA DA MORTE – Na medida em que a distância aumenta, saindo do Recife, mais risco à vida, mais danos aos automóveis. Quem está lucrando são as oficinas, as borracharias instaladas ao longo de toda e qualquer BR ou PE do Estado. No Agreste, na PE-90, que liga Santa Cruz do Capibaribe a Toritama e Jataúba, uma cratera sem o menor sinal de advertência já provocou e vem provocando muitos acidentes fatais. Comerciantes e feirantes obrigados a trafegar por ela já promoveram vários protestos, chegaram, inclusive, a interditar, mas o Governo não deu bolas nenhuma. Nem os deputados da região protestaram. Que absurdo!

CONTANDO BURACOS – Para quem segue em direção ao Sertão do Pajeú, dois trechos terriveis: Cruzeiro do Nordeste a Sertânia e Sertânia a Albuquerque. A primeira já fizeram tantas operações tapa buraco que a estrada se afundou num buracão. Ali, não há mais condições de remendos, só uma nova estrada. Afinal, é uma das vias mais movimentadas do Sertão. Já o trecho de Afogados da Ingazeira para Tabira, de apenas 22 km, o radialista Anchieta Santos, obrigado a fazer o percurso todos os dias para bater ponto da rádio Cidade FM, onde apresenta um dos programas de maior audiência na região, teve a paciência de contar o número exato de buracos: 79. Vergonha, governador!

O GATO COMEU – O mais vergonhoso é a oposição se calar também diante do destino incerto e não sabido dos R$ 550 milhões que o governador Paulo Câmara anunciou, de forma pomposa, na recuperação das estradas. Com certeza, essa dinheirama virou Sonrisal, porque a malha viária estadual, se já estava ruim antes do programa lançado, ficou pior. Se fez alguma operação, foi tapa buraco, que vira logo buracão nas primeiras chuvas caidas. Por que os deputados votados no Sertão e Agreste não cobram do Estado o resultado do investimento? Na verdade, se a oposição existisse esse era um caso apropriado para uma CPI.

CURTAS

COMARCAS AMEAÇADAS – Exemplo notório da cumplicidade dos deputados diz respeito a uma outra notícia muito preocupante para o Estado: um terço das comarcas de Pernambuco está correndo o risco de ser extinto. A única voz que se levantou ao ser alertado sobre o assunto foi o deputado federal Gonzaga Patriota, mas foi preciso que o ex-prefeito de Palmeirina, Eudson Catão, botasse o dedo na ferida. “Anuncia-se que o respeitável TJPE iniciará votação para extinção de aproximadamente 42 comarcas em municípios do Estado. Isso significa que quase 1/3 das nossas cidades ficará sem uma prestação jurisdicional mais próxima e efetiva. Em tempos de uma crise global, sem precedentes na história mundial, no país e no nosso Pernambuco, acreditamos não ser o melhor momento para se afastar a justiça do povo a que serve”, disse Catão.

PINTANDO PARA MENDONÇA – No bloco de oposição no Recife, o cenário de aglutinação está, hoje, para ser construído em torno do pré-candidato do DEM, Mendonça Filho. Além de se apresentar melhor situado nas pesquisas, em segundo lugar com Patrícia Domingos, o ex-ministro já conta de largada com o apoio do PSDB, manifestado pelo presidente nacional da legenda, Bruno Araújo. Também na linha de frente pró-Mendonça, o presidente estadual do PTB, Armando Monteiro Neto. O que os aliados da Mendonça dizem que é o próximo prefeito do Recife pós-pandemia tem que ter preparo e experiência na administração pública, perfil do democrata, que se notabilizou como o melhor ministro da era Michel Temer.

LIVE COM ALCKMIN – O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, uma das principais lideranças nacionais do PSDB, tendo já disputado à Presidência da República, é meu convidado para a live de hoje, às 18 horas, pelo Instagram deste blog, com retransmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio no horário do programa Frente a Frente, que tem como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, no Grande Recife. Se você quer assistir e ainda não nos segue pelo Instagram, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Quais os gabinetes que a PF visitará esta semana?

Publicado em: 20/07/2020