Coluna da sexta-feira

O espaço Bolsonaro no Recife

À luz dos números apontados, ontem, na pesquisa do Instituto Potencial sobre a sucessão no Recife, postada com exclusividade neste blog, um cenário merece uma reflexão: o Governo Jair Bolsonaro parece ter superado a sua pior fase numa capital nordestina e tem consideráveis 24% de ótimo e bom, com 21% de regular. Sua desaprovação é de 44%, percentual que já foi bem mais alto. Na aprovação, Bolsonaro já supera, numericamente, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, que tem 46% de desaprovação.

Bolsonaro tem 13% de ótimo e 11% de bom. Geraldo, 20% de bom e apenas 3% de ótimo. Traduzindo: se a eleição municipal vier a ganhar espaços para o debate também nacional, um candidato apoiado por Bolsonaro no Recife tende a captar esse eleitorado satisfeito com a gestão federal. Há, de fato, um segmento eleitoral de centro e de direita que não vota em nenhum dos candidatos que se apresentam com discurso de afronta ao Governo Bolsonaro.

Existem dois pré-candidatos brigando pelo apoio de Bolsonaro no Recife: Alberto Feitosa, do PSC, e Marco Aurélio, do PRTB. O que tem mais acesso a Bolsonaro é Feitosa, já com elo criado com ele por uma relação antiga, quando então deputado federal, Bolsonaro esteve no Recife para atos políticos no segmento militar. Feitosa, vale lembrar, é major, e Bolsonaro, capitão. Já Marco Aurélio tem linha direta com o vice-presidente Hamilton Mourão, a quem concedeu a cidadania recifense.

Na pesquisa, liderada por Marília Arraes com 21%, seguido por Mendonça Filho e Patrícia Domingos, com 12%, Daniel Coelho na faixa de 10% e João Campos com 9%, Marco Aurélio é citado por 3% e Feitosa 1%. Feitosa, entretanto, é o menos conhecido entre todos os candidatos. Dos 800 eleitores entrevistados por telefone pela Potencial, 47% disseram que nunca tinham ouvido falar no nome dele, quase o mesmo percentual também de Marco Aurélio.

Bolsonaro chegou a dizer lá atrás, quando seu Governo estava num patamar maior de rejeição, que não iria se envolver na eleição municipal. Mas tudo pode estar no campo apenas da retórica. Quando o processo eleitoral pegar fogo, custo a acreditar que ele não venha a se envolver, optando por subir em palanques de candidatos simpáticos e defensores do seu Governo. Se isso ocorrer, quem se apresentar como candidato de Bolsonaro no Recife cresce nesse eleitorado que aprova o seu Governo, seja Feitosa ou Marco Aurélio.

O teto da esquerda – Na pesquisa do Potencial/Blogdomagno sobre a sucessão do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), postada ontem, a soma de Marília Arraes (PT) e João Campos (PSB), que se inserem no chamado campo da esquerda, dá exatamente 30% - 21% da petista, que lidera, e 9% do socialista, que aparece em quarto lugar. Já a soma dos demais candidatos fecha em 38%, estando ainda 15% indecisos. Traduzindo: a esquerda tem um teto e para onde o eleitor mais conservador pender, a eleição tende a ser definida.

Quem abre? – Mendonça Filho (DEM) e Daniel Coelho (Cidadania) aparecem, respectivamente, com 12% e 10%, e praticamente a mesma taxa de rejeição – 54% e 53%. Desde o start da discussão no Recife, quando passaram a ocupar o espaço da mídia na chamada fase da pré-campanha, eles passaram a pregar a tese da candidatura única da oposição, tendo como um dos critérios pesquisa eleitoral. Como estão num mesmo patamar, a pergunta que se faz é a seguinte: quem vai abrir para quem? Resposta óbvia: nenhum vai ceder, pelo menos não estão dando indicativos nessa direção.

DNA de delegada – Diferente de uma pesquisa anterior divulgada por um instituto desconhecido de Caruaru, o nome de Patrícia Domingos, pré-candidata do Podemos à prefeita do Recife, foi apresentada aos entrevistados com a indicação de delegada, mas a delegada mais conhecida pelos recifenses ainda é Gleide Ângelo, furacão de votos em 2018, com mais de 400 mil votos. Será que isso beneficiou a carioca? Entre todas as pesquisas registradas até agora na justiça eleitoral para levantar o quadro sucessório no Recife, o único instituto de pesquisa, na verdade, é o Potencial, que tem parceria com o meu blog. Os demais são empresas, inclusive de assessorias.

O dedo de Armando – O cenário eleitoral do Recife apontado pela Potencial pode provocar fatos novos nos próximos dias. Presidente estadual do PTB, o ex-senador Armando Monteiro Neto tem feito o meio do campo para um entendimento entre os pré-candidatos Mendonça Filho e Daniel Coelho. Como as convenções se aproximam, estando previstas para agosto, o que se diz Mendonça e Daniel não podem retardar mais essa decisão por um acordão. Mendonça, aparentemente, parece mais avançado para atrair mais apoios ao seu projeto do que Daniel, que tem resumido sua atuação de oposição a postagens não tão periódicas pelas redes sociais.

CURTAS

FATOR TÚLIO GADELHA – A propósito do cenário eleitoral do Recife, soube, ontem, que o PDT nacional, liderado por Carlos Lupi, ainda não arquivou a ideia de bancar a candidatura do deputado federal Túlio Gadelha, que já se colocou como pré-candidato lá atrás, mas depois recuou. Lupi tem o controle absoluto da legenda, que no Recife, por graça do presidente estadual da legenda, Wolney Queiroz, está hoje atrelada ao PSB em apoio ao pré-candidato João Campos. “Mas quem decide Recife é Lupi”, disse uma fonte nacional ouvida por este blogueiro.

BAIANO NO COMANDO – O Instituto Potencial, com sede em Salvador, na Bahia, é dirigido por Zeca Martins, professor de cursos de pós-graduação na área, com atuação nacional. Tem um histórico de acertos. Foi quem previu a vitória do então governador Jacques Vagner (PT), na Bahia. Na liderança pelo levantamento do Potencial, a pré-candidata do PT no Recife, Marília Arraes, ouvida sobre a pesquisa em que desponta com 21%, afirmou que se traduz pelo sentimento de confiança do recifense no seu trabalho e nas suas propostas para a cidade.

LIVE COM ALCKMIN – O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, uma das principais lideranças nacionais do PSDB, tendo já disputado à Presidência da República, é meu convidado para a live da próxima segunda-feira, às 18 horas, pelo Instagram deste blog, com retransmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio no horário do programa Frente a Frente, que tem como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, no Grande Recife. Se você quer assistir e ainda não nos segue pelo Instagram, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Tem graça e validade uma eleição sem campanha de rua?

Publicado em: 16/07/2020