Coluna da segunda-feira

Não roubava, mas não educava

Num tempo explícito de maus feitos de políticos, roubando dinheiro federal destinado a salvar infectados pela Covid-19, contei, ontem, o exemplo do ex-prefeito de Afogados da Ingazeira, minha terra natal, João Alves Filho, então militante do PDS, que adentrou o Palácio das Princesas com uma sacola de dinheiro nas mãos para devolver ao governador a parte que sobrou na construção do fórum da cidade, mediante transferência do tesouro estadual.

Digno de louvor, de aplausos, mas o que seria regra, infelizmente foi e continua sendo exceção na gestão pública brasileira. Do mensalão para cá, passando por Lava Jato e outras cositas mais, a impressão que temos é que somos assaltados a toda hora. O suado pagamento dos impostos, ao invés de ser aplicado em obras em benefício do povo, na saúde, da educação e no combate à desigualdades, serve para enriquecer gatunos.

Mas João Alves Filho, o Joãozinho, tinha outra faceta, não admirável. Era um homem rude, muitas vezes ignorante no trato humano, de respostas secas e de poucas palavras. Cometeu a insanidade de derrubar um coreto na praça principal de Afogados da Ingazeira, que fez história e marcou uma época, que servia para tudo, desde barbearia e pequenas lojas de café a festas em que se dançava a valsa de 15 anos, de formatura ou casamento.

Mal sabia assinar o nome, iletrado, típico coronel do Sertão, daquelas que as pessoas batiam continência. A educação não foi tratada com prioridade em suas duas gestões, inclusive na primeira, na qual papai foi seu vice. Um amigo e conterrâneo, ao ler ontem o seu gesto de honestidade na devolução do dinheiro em espécie ao então governador Roberto Magalhães, recordou que esteve com ele para pedir uma ajuda na locação de um ônibus com estudantes da terra com destino ao Recife.

“Para que vocês querem estudar? Eu sou analfabeto, não sei nem assinar nem meu nome direito e já estou prefeito pela segunda vez”, respondeu, para tristeza daquele que ali estava com ele no gabinete manifestando um desejo de jovens que acreditavam que o futuro só se constrói com educação, queimando as pestanas nas bancas escolares. Mas Joãozinho era um homem de bem. Quem não tem defeitos que atire a primeira pedra.  

Mesmo cometendo o pecado da falta de estimulo e do incentivo a educação, Joãozinho da minha querida terra já se perpetuou pela dignidade, pela nobreza de preferir ser um miserável honesto a um milionário corrupto e vazio. Aprendi com meu pai, que foi vice dele, que a honestidade é dignidade para vida. Nos dias de hoje, ser honesto é ser diferente.

PEGOU MAL - Em meio às recomendações de distanciamento social feitas pelas autoridades de saúde do Estado devido à pandemia da Covid-19, a inauguração do Centro de Especialidades Médicas de Camaragibe, na sexta-feira passada, causou aglomeração de políticos e gerou protestos pelas redes sociais. Além da prefeita Nadegi Queiroz (Republicanos), ao menos quatro deputados, estaduais e federais, estiveram presentes ao evento. De acordo com a assessoria da prefeita, estiveram presentes os deputados federais Silvio Costa Filho (Republicanos) e Ricardo Teobaldo (Podemos); o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Eriberto Medeiros (PP); e a deputada estadual Gleide Ângelo (PSB), isso sem contar vereadores, lideranças comunitárias e pré-candidatos a vereador. Péssimo exemplo!

DEFESA 1 – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou o seu perfil no Twitter para sair em defesa de famosos que estiveram envolvidos em polêmicas nos últimos dias. Rasgou elogios para Luís Ernesto Lacombe, Leandro Narloch, o colunista Rodrigo Constantino, e o analista político Caio Coppolla. “Luís Lacombe, Leandro Narloch, Caio Coppolla e Rodrigo Constantino possuem algo em comum, que é opinião própria e independência. Isso já é suficiente para serem considerados nocivos dentro de grande parte da mídia, hoje completamente dominada pelo pensamento de esquerda radical“, disparou.

DEFESA 2 – Ainda na rede social, Bolsonaro também garantiu não ter relações com os famosos citados, que possuem posições “conservadoras”, e que até já sofreu “diversas críticas” dos quatro. “Não tenho relação com nenhum desses. Inclusive, por diversas vezes, sou alvo de suas críticas. Mas no Brasil formou-se um cenário onde não ser radicalmente crítico a um governo conservador/liberal já é motivo para ilações e perseguições. A esquerda não respeita a democracia!”, completou.

LUCRO NO YOUTUBE – Deputados da base governista e da oposição transformaram a divulgação da atividade na Câmara num negócio privado. Segundo o portal do Estadão, eles recorreram a empresas contratadas com dinheiro da cota parlamentar e assessores pagos pela Casa para gerir canais monetizados no YouTube, com vídeos que arrecadam recursos de acordo com o número de visualizações. A prática vem sendo chamada de “toma lá, dá cá” nos corredores do Congresso. Foram identificados ao menos sete parlamentares que estão ganhando dinheiro dessa forma. A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) é uma delas. Em junho ela gastou R$ 4 mil da cota parlamentar com uma firma que trabalha na edição do conteúdo que posta. O alcance dos vídeos gerou a Carla R$ 23.702, dos quais diz ter recebido já R$ 15,1 mil do YouTube.

OS ASSUMIDOS– Os únicos deputados que informaram ao jornal quanto teriam recebido foram Otoni, Gleisi (R$ 32,3 mil) e Carla. Procurado pela reportagem, o YouTube não informou os valores repassados aos parlamentares, alegando sigilo de informação. Esse dinheiro que vai para o bolso dos deputados não é alvo de fiscalização e controle da Câmara. A instituição não inclui a prática, que é nova, na lista de irregularidades. Alvo de investigação no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre atos antidemocráticos, Bia Kicis pagou R$ 45,5 mil de sua cota às empresas BM Gestão de Mídias Sociais e L. A. Soluções em TI e Marketing Digital por serviços de produção, edição, montagem e publicação para o canal dela no YouTube, entre novembro de 2019 e junho deste ano. Nos últimos cinco meses, o canal saltou de 100 mil inscritos para 136 mil, o que amplia a visualização dos vídeos, fator determinante para recebimento de valores.

PESQUISA RECIFE– A primeira pesquisa Potencial/Blogdomagno sobre a sucessão no Recife chega aos nossos leitores à meia noite da próxima quarta-feira. O levantamento inclui 800 entrevistas por telefone e avalia também as gestões de Geraldo Júlio, Paulo Câmara e Jair Bolsonaro. Num instante em que Recife já sofreu três operações da Policia Federal em cima da compra imoral de respiradores testados em porcos, passou a ser grande a expectativa em torno da pesquisa, até para identificar os efeitos na administração socialista na capital.

LIVE COM KÁTIA – A senadora Kátia Abreu (PP-TO), ex-ministra da Agricultura, ex-candidata a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes em 2018 e ex-presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), participa da live deste blog hoje, às 18 horas, com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio no horário do programa Frente a Frente. Se você quer acompanhar e ainda não nos segue pelo Instagram, vá lá e nos siga no @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Quem a Federal vai visitar dando bom dia, logo cedo, ao longo desta semana?

Publicado em: 13/07/2020