Moradores do Poço lutam contra novo prédio

G1 PE

Moradores do bairro do Poço da Panela, na Zona Norte do Recife, se manifestaram contra a implantação de um grande prédio comercial na Avenida Dezessete de Agosto. No local, a prefeitura da capital deu uma licença prévia para a construção de uma loja do Atacado dos Presentes com dois subsolos e três andares.

Na área, um portão simples esconde o que parece ser mais um terreno vazio. O local tem mais de 12 mil metros quadrados. A concessão da licença prévia não agradou alguns moradores, que começaram uma campanha nas redes sociais contra a construção. O prédio da loja é um vizinho gigante que eles não querem ter.

"Nós temos que nos juntar e agir para que isso não aconteça e destrua o nosso bairro, que já está tão descaracterizado, mas ainda é tão gostoso. Eu acredito que é um projeto que vai ser muito ruim para o bairro, muito ruim para o trânsito, para o meio ambiente", afirmou o estudante Ricardo Bandeira de Melo, um dos organizadores da campanha.

O terreno fica no limite entre os bairros de Casa Forte e Poço da Panela, numa área em que ficam a Igreja Nossa Senhora da Saúde e construções históricas, erguidas no entorno do Rio Capibaribe, no fim do século 18.

Na mesma avenida, fica a sede da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), ligada ao Ministério da Educação (MEC), que tem como uma das funções a preservação da história e da cultura. Próximo ao local, também está o Museu do Homem do Nordeste, além de bibliotecas, galerias, salas de exposição e espaços de estudo e pesquisa.

No terreno, já funcionou a Casa de Saúde São José, que também foi abrigada em um prédio antigo. Em 2009, o prédio foi demolido para dar lugar a um grande supermercado, mas a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) foi contra a demolição e a Justiça condenou a prefeitura a pagar multa de R$ 1,5 milhão por ter permitido a derrubada do prédio. Por causa disso, a obra não avançou.

O presidente da Fundaj, Antônio Campos, também é contra a construção de um empreendimento comercial tão grande no local e pediu à prefeitura para suspender a licença de construção.

A matéria completa está disponível no G1.

Publicado em: 12/07/2020