Para botar na parede

Caro Magno,

Sua crônica de hoje sobre seu passado desportista em Afogados da Ingazeira, também raízes minhas do meu Pajeú das Flores, da velha Coruja, hoje Iguaracy, está maravilhosa. Posso dizer que entre as melhores crônicas que já li, e não somente de Magno Martins. 

Dignas para botar em quadro na parede (Drummond assinaria sem pestanejar), em homenagem ao que fomos, e dizer SIM a uma inteligência privilegiada, pois que parida pelo Pajeú das Flores.

Zé da Coruja, seu conterrâneo.

Publicado em: 05/07/2020