Câmara de Goiana acumula escândalos

A Câmara Municipal de Goiana, na Região Metropolitana do Recife, está acumulando escândalos e gerando revolta entre os cidadãos. Mesmo diante da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus, os vereadores goianenses conseguem a proeza de promover um verdadeiro "trem da alegria" ao empregar 149 cargos comissionados e pagar salários de mais de R$ 15 mil, que superam os vencimentos até mesmo dos secretários do Poder Executivo Municipal.

No início de janeiro deste ano, o prefeito em exercício de Goiana, Eduardo Honório, ainda tentou impedir a criação de mais cargos comissionados com salários astronômicos no Poder Legislativo. Ele chegou a vetar o projeto, elaborado e aprovado pela Câmara, que criava mais postos de trabalho. Porém, no dia 10 de janeiro, os vereadores interromperam as suas férias e se reuniram para derrubar o veto do prefeito.

Outro escândalo da Câmara de Vereadores é o nepotismo praticado pelo presidente da Casa, vereador Carlos Viégas Júnior (PSB). Além de empregar o tio, Roberto Sotero Viégas, e o sobrinho, Danilo Viégas, em cargos de confiança, o presidente do Legislativo ainda fez questão de pagar indenizações ao seu irmão, Samuel Viégas, e ao primo, Paulo Geraldo dos Santos Viégas Filho, ambos exonerados em legislatura anterior.

Publicado em: 30/06/2020