Coluna da quarta-feira

A ciência da corrupção

Em meio a tamanho assalto aos cofres públicos no Brasil da pandemia, cujo destinação do dinheiro era para salvar vidas ameaçadas pela Covid-19, recordei de uma frase lapidar do pai das diretas Ulysses Guimarães: “Não roubar, não deixar roubar, pôr na cadeia quem roube”, disse no discurso de promulgação da Constituição de 88 como o primeiro mandamento da moral pública. E acrescentou: “A moral é o cerne da Pátria. A corrupção é o cupim da República. República suja pela corrupção impune tomba nas mãos de demagogos, que, a pretexto de salvá-la, a tiranizam”.

Prostrado num plenário apinhado, estava eu lá como repórter para ouvir Ulysses dizer que aquela Carta Magna que acabara de sair do prelo não era perfeita, mas seria útil, pioneira, desbravadora. “Será luz, ainda que de lamparina, na noite dos desgraçados. É caminhando que se abrem os caminhos. Ela vai caminhar e abri-los. Será redentor o caminho que penetrar nos bolsões sujos, escuros e ignorados da miséria”, afirmou. Que pena que o Brasil que Ulysses sonhou, pregou e acreditou não deu certo.

Não deu certo em geral, com poucas exceções, os seus políticos. Inacreditável o que estamos assistindo hoje no Brasil. Num momento o vírus do demônio arrasta para o cemitério cerca de 50 mil almas, governadores e prefeitos são objetos de operações da Polícia Federal suspeitos de desvios fabulosos dos recursos federais que rechearam os cofres para ações que seriam de combate ao mal que a pandemia está fazendo no País. Enquanto se rouba, mais vidas são ceifadas sem respirar.

Respiradores que seriam a tábua de salvação viraram escândalo nacional porque, na verdade, só serviam para porcos, sem o selo da Anvisa. Ulysses proclamou: “A Nação quer mudar. A Nação deve mudar. A Nação vai mudar”. Mudou, é verdade, mas não como deveria. Assistimos a dois impeachments e um ex-presidente que liderou uma quadrilha preso, mesmo estando solto hoje. O que não mudou, entretanto, foi a consciência e o descerramentos cidadãos. A política brasileira continua lamentável.

Agride e nos fere de ódio ver tanto lamaçal disputado por políticos com cara de porquinhos nessa República anti-Ulysses Guimarães. Às vezes, dou razão ao meu avô Severo Martins, que era severo por natureza, quando dizia que odiava toda a forma de política e os políticos. Dizia que qualquer pessoa que entrava na política parava de pensar. “Política é a ciência da corrupção”, ensinava.

Ação federal – Ao longo do dia de ontem, além do Recife, Cabo, Paulista, Camaragibe e Petrolina, a Polícia Federal deflagrou a Operação Lume para cumprir 21 mandados de busca e apreensão em cinco Estados e no Distrito Federal no âmbito do inquérito sobre a organização e o financiamento de atos antidemocráticos. Entre os alvos da ação estão o deputado federal bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ), o blogueiro Allan dos Santos, o empresário e advogado Luís Felipe Belmonte, principal operador político do Aliança pelo Brasil, e o publicitário Sérgio Lima, marqueteiro do partido que o presidente Jair Bolsonaro tenta criar. A ofensiva mira ainda youtubers bolsonaristas.

Segunda operação – No caso de Pernambuco, a operação da PF investiga crimes de fraudes em licitações, uso de documentos falsos, lavagem de dinheiro e promoção e integração de organização criminosa. A operação Ripstop se deu nos municípios do Recife, Olinda, Paulista e Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, e em Petrolina, no Sertão. Ao todo, 110 policiais civis cumpriram 17 mandados de busca e apreensão domiciliar, cinco mandados de suspensão provisória, que proíbem empresas de participar de licitação e 13 mandados para pessoas físicas e jurídicas para impedir o exercício de atividade econômica que implique contratação do poder pública. A operação foi coordenada pelo delegado Diego Pinheiro, do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco).

Choro – José Luiz Datena não segurou as lágrimas e chorou ao vivo no ‘Brasil Urgente’, da Band, segunda-feira passada, logo após receber a notícia da morte de um colega, inicialmente conhecido apenas como Wilson. Segundo o apresentador, eles trabalharam juntos em coberturas esportivas e tinham uma relação próxima. Datena não chegou a informar se a morte do amigo foi por conta do novo coronavírus. O apresentador divulgou a informação logo após um retorno do intervalo, em que ele já aparentava estar visivelmente abatido. “Tive uma notícia muito triste agora. Um menino que trabalha aqui com a gente, um menino quase da idade dos meus filhos teve que ir embora, o Flávio, e eu não sabia o porquê”, disse.

Em dezembro – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, que hoje é também presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disse ao Roda Viva, programa da TV Cultura, que defende a realização das eleições municipais ainda em 2020, mas não em outubro, data atual do pleito. "Há consenso para fazermos este ano. Para TSE e cientistas, há janela de 15 de novembro a 20 de dezembro. Realizando primeiro turno a partir de 15 de novembro e segundo até 20 de dezembro, conseguimos entregar eleições bem arrumadas", afirmou. Ele lembrou que uma alteração da data depende do Congresso e disse que vem mantendo interlocução positiva com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre.

CURTAS

SEM ADIAMENTO – "Marcamos conversas dos dois presidentes (Maia e Alcolumbre) e de líderes partidários com médicos, cientistas, especialistas. Todos eles recomendam adiamento por algumas semanas, mas disseram que não fará diferença passar para o ano que vem", afirmou Barroso. Ainda sobre seu trabalho no TSE, Barroso falou sobre as ações pedindo a cassação da chapa Bolsonaro-Mourão que tramitam no tribunal. "O TSE não é ator político, é ator institucional que se move pelas categorias do direito", afirmou. "Ninguém lá se move politicamente." O ministro afirma que foi procurado por uma pessoa do governo perguntando se ele deveria se preocupar com os casos. "Respondi: só se tiver feito alguma coisa errada", disse Barroso, sem dizer quem o abordou.

DEUS TE OUÇA! – "Acho que lá para setembro, outubro, novembro, nós já estamos num novo país, com ano novo muito bom pela frente. Eu acredito nisso, vamos lutar por isso, manhã, tarde e noite estamos lutando por isso e que acho que nós vamos conseguir", disse o ministro da Economia, Paulo Guedes, ao participar de uma conferência online sobre a crise que o País está enfrentando na economia devido ao prolongamento da pandemia e seus efeitos na produção industrial. Ele disse também ter certeza de que o País irá atravessar as ondas de desafios na saúde e na economia pela crise com o coronavírus e que irá surpreender neste processo.

LIVE COM FLÁVIO DINO – Entrando na política regional Nordeste, mas com foco nacional, na live pelo Instagram deste blog entrevisto, amanhã, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), responsável pela rebeldia dos demais governadores do Nordeste frente ao Governo Bolsonaro. Em pauta também a operação fraudulenta do Consórcio Nordeste na compra de respiradores sem o aval da Anvisa sob a coordenação do governador da Bahia, Rui Costa (PT). Está marcada para as 18 horas, fugindo do horário tradicional das 19 horas a pedido do próprio governador. Se você ainda não segue o Instagram do blog, anote aí: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Governadores e prefeitos não têm vergonha na cara de desviar dinheiro que era para salvar vidas?

Publicado em: 16/06/2020