Eleitor atrevido da mol├ęstia

Por sugestão de leitores matutos como eu, criado no mato (meu pai Gastão Cerquinha nos levava todo fim de semana para o sítio em Afogados da Ingazeira), inspirado entre a sonoridade triste e agourenta do acauã e o canto belo do sabiá, tenho contado muitas histórias que vivi entre a infância, a adolescência e já com cabelo na venta também.

Elas envolvem muito meu pai, seu legado de sertanejo afoito e apaixonado por cheiro de terra, romântico, daqueles que ainda mandam flores, que olham para a lua e da sua luminosidade extraem um poema. Mas a minha mãe, a flor Margarida, também é estuário dos bons, de onde é possível regar uma boa prosa. Mamãe morreu aos 86 anos, infarto fulminante. Foi uma guerreira. Pariu nove filhos, matou a fome de todos com tareco e mariola, como canta Petrúcio Amorim.

De personalidade dura como as pedras sertanejas, nunca levou desaforo para casa. Papai, político, mais conciliador e diplomático, reclamava que de vez em quando ela afugentava eleitores pelo temperamento meio a seu Lunga. Era o traço da sua honestidade. Dizia o que vinha na cabeça e ponto final.

Quando comecei a namorar Aline Mariano, hoje vereadora no Recife, mãe dos meus filhos Magno Filho e João Pedro, ela foi logo dizendo: "Mariano, aqui nesta casa não bota os pés".  Aline é filha do ex-deputado Antônio Mariano, já falecido, adversário político da minha família desde que me entendi de gente. Daí, a ira e decepção de mamãe. Foi um golpe na vida dela, mas o tempo se encarregou de deixá-la apaixonada por Aline, para quem depois não tinha defeitos, só virtudes.

Num dia de eleição na qual papai disputava mais um mandato de vereador, um cabra atrevido chegou lá em casa justamente na hora em que ela matava a sede das suas plantinhas nos jardins, ao lado da garagem. Dizendo ser eleitor fiel de papai, o cabra inventou de pedir a ela para lavar seus pés.

O sangue dos Martins da paraibana Monteiro fez ela dá um bote de cobra no cidadão. 

"Tenha vergonha na cara! Tais pensando que sou mulher largada? Olhe a mangueira aqui, pegue e lave".

Papai perdeu o voto, mas esse atrevimento ela não engoliu

Publicado em: 01/06/2020