Os vĂ­rus conspiram contra a humanidade

Por Jose Adalbertovsky Ribeiro*

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Século 14, anos mais ou menos de 1343 a 1353, a peste negra dizimou um terço da população da Eurásia (atual Europa e Ásia), algo em torno de 150 milhões de almas. Hoje seria mais que toda a população da China. A peste era transmitida pela bactéria Yersinia Pestis através das pulgas dos ratos pretos. O bicho da Peste Negra veio da Rota da Seda na China, e o Coronavírus também.

Tempos medievais, havia a crença de castigo dos céus diante dos pecados da humanidade terrestre. Deus, ou os deuses, segundo a crença, era vingativo, implacável diante dos hominídeos pecadores. Não bastava condenar os pecadores ao fogo eterno do inferno, a religião também condenava os degredados de Eva e Adão a sofrimentos cruéis neste vale de lágrimas.

O Continente demorou mais de dois séculos para se recuperar da tragédia, a maior pandemia da historia da humanidade.

Ou seria a Peste Negra naqueles tempos medievais, segundo os fanáticos, a expiação dos pecados assim feito os sofrimentos de Jó: “Deus permitiu que Satanás tirasse os bens e a família de Jó e que lhe afligisse com úlceras malignas...”

O Deus implacável dos Sofrimentos de Jó não combina com o Deus cósmico e universal, nem combina com o humanamente divino de Spinoza:

“Pare de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que você mesmo construiu e acredita ser a minha casa! Minha casa são as montanhas, os bosques, os rios, os lagos, as praias, onde vivo e expresso Amor por você. Pare de me culpar pela sua vida miserável! Eu nunca disse que há algo mau em você, que é um pecador ou que sua sexualidade seja algo ruim. O sexo é um presente que lhe dei e com o qual você pode expressar amor, êxtase, alegria. Assim, não me culpe por tudo o que o fizeram crer.

“Pare de ter medo de mim! Eu não o julgo, nem o critico, nem me irrito, nem o incomodo, nem o castigo. Eu sou puro Amor”.

O século 20 foi o século das guerras, das atrocidades e genocídios cometidos por comunistas e nazistas e das bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki no Japão. E foi também o século da descoberta da penicilina e das vacinas. 

Aterrorizante é saber que pela primeira vez na história um vírus paralisou o planeta, irá afetar a saúde dos povos e a economia mundial.

Existe o princípio de que as nações se unem em tempos de guerra. Pandemia é mais que uma guerra. Nosso País e o mundo estão à beira de uma recessão/depressão econômica, com resultante de desemprego em massa e crise social. Eis uma triste realidade no momento em que o País começava a recuperar empregos.

Desviar o foco no enfrentamento da pandemia e fazer oposição mesquinha ao governo é atitude leviana e antipatriótica. Faz parte do fanatismo ideológico vermelho.

*Jornalista

Publicado em: 23/03/2020