Coluna da sexta-feira

Se Lucas falou, errou feio

O deputado Lucas Ramos se precipitou, mas não é verdade que o PSB tenha fritado a sua pré-candidatura à Prefeitura de Petrolina. A rigor, PSB e PT não chegaram sequer a tratar de alianças nos municípios, embora no Recife ocorram entendimentos já avançados, via Humberto Costa, para manutenção da coligação fechada em 2018, que reelegeu Paulo Câmara, tendo como sequência o apoio a João Campos à prefeito da capital.

Historicamente, essas alianças são discutidas e batidas o martelo numa fase mais adiante, que começa em maio e vai até as convenções, entre julho e agosto. Recife, por sua vez, não será moeda de troca para queimar candidaturas em outros municípios. Lucas errou feio, não sabe onde o galo está cantando. Ninguém do PSB ou do PT sondado confirmou tais conjecturas e não há registro que o prefeito Geraldo Júlio tenha colocado o carro antes dos bois, até porque se profissionalizou há muito nessa matéria.

O que há de fato em Petrolina é o desejo de se formar uma frente de oposição para barrar a reeleição do prefeito Miguel Coelho (MDB), filho do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, mas isso passa por pesquisas de intenção de voto, levantamentos qualitativos e muita discussão. A pauta da sucessão em Petrolina não será posta como boi de piranha para o Recife, nem o PSB iria queimar Lucas assim.

Até porque o pré-candidato, embora não tenha ainda a maturidade política que só o tempo e os cabelos brancos constroem, é filho de uma raposa política, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Ranilson Ramos, arreaesista histórico, nomeado para o cargo vitalício pelo ex-governador Eduardo Campos.

Lossio não acredita – Localizado na Argentina, onde passou o carnaval e prolongou o feriadão, o ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PSD), disse não acreditar que Lucas Ramos tenha falado em fritura da sua pré-candidatura, num jogo pelo qual o PT apoiaria João Campos no Recife em troca do apoio da legenda socialista ao candidato petista em Petrolina, o ex-prefeito, ex-deputado e atual presidente do IPA, Odacy Amorim. “Lucas está muito bem no Governo e não acredito em nenhum tipo de articulação que possa comprometer o seu projeto de disputar a Prefeitura”, afirmou.

Isolamento – Um petista com assento no Governo Paulo Câmara não acredita em hipótese alguma na viabilização da pré-candidatura de Marília Arraes à sucessão do prefeito Geraldo Júlio. Segundo ele, Marília está completamente isolada dentro do PT, sem capacidade de atrair partidos de esquerda e não conta com o apoio sequer de Lula. “O que Lula diz hoje, amanhã desmente”, afirmou, passando a ideia de que o que vai mesmo prevalecer é a vontade soberana do grupo do senador Humberto Costa, já fechado com o projeto do PSB de eleger João prefeito e Geraldo governador, em 2022.

Surpresa em Goiana – O fato mais novo em Goiana, na Mata Norte, não é mais a pré-candidatura do jornalista Fernando Veloso a prefeito apoiado pelo cacique Osvaldo Rabelo Neto. Ali, quem está empolgando o eleitor e despertando as maiores atenções veste saia e atende pelo nome de Patrícia Amélia, atual secretária de Saúde de Igarassu. Jeitosa, do ramo da política e bem conceituada pelo histórico da sua família em trabalhar pelo desenvolvimento do município, Patrícia tem o irrestrito apoio do prefeito de Igarassu, Mario Ricardo. A moça tem tudo para abrir um novo paradigma na política de Goiana.

João na cabeça – Em Triunfo, o deputado Sebastião Oliveira filiou o ex-prefeito Luciano Bonfim ao Avante com a expectativa de vê-lo disputar à sucessão do prefeito João Batista, a caminho do PSB, mas o projeto pode subir ao telhado. Há um sentimento geral no grupo do prefeito e entre todos os vereadores e aliados que o candidato deve ser o próprio João pela obra que vem fazendo no município, preparando a cidade especialmente para ser grande atrativo turístico. João já abriu quatro museus, repaginou a orla, construiu a Via Verde e está estruturando as áreas turísticas do município, como o Pico do Papagaio, com nova roupagem em termos de equipamentos.

CURTAS

ZERO CRIME – A pequena Quixaba, perdida no Sertão do Pajeú, entre as cidades de Carnaíba e Afogados da Ingazeira, já foi manchete nacional quando o então prefeito Pezão, hoje vereador, aplicou 37% do orçamento em educação, sendo personagem das páginas amarelas da revista Veja. Vem de lá, agora, outra boa notícia: em 2019, a cidade não registrou nenhum crime doloso, com estatística zero de 2018 a 2019. Outro paraíso de tranquilidade é Triunfo, segundo levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em parceria com a Universidade de São Paulo (USP).

HOTÉIS LOTADOS – Antônio Magalhães noticiou, ontem, no jornal O Poder, que o setor hoteleiro saudou a passagem do Carnaval com 98% de ocupação dos hotéis no Estado. O setor de bares e restaurantes do Recife também fechou positivamente o caixa, segundo a Abrasel, associação do setor. Já o consumo de cerveja em latinhas produziu uma montanha de lixo reciclável de 31 toneladas no Recife e 120 toneladas em Olinda, quatro vezes mais do que a capital pernambucana.

VOTO VENCIDO – Alvirrubro doente, o ex-ministro Gustavo Krause vibrou com o jogador Phillip, ex-time base do Náutico, autor do segundo golaço do Afogados da Ingazeira em cima do Atlético mineiro. Em artigo no meu blog, Krause disse que foi voto vencida para segurar o garoto no time do Náutico, onde tinha grande potencial e já se destacava entre as melhores promessas. “Mas, ninguém deu ouvidos ao que falei”, lamenta.

Perguntar não ofende: Por que Pernambuco continua com criminalidade maior do que o Estado de São Paulo?

Publicado em: 28/02/2020