No coração do sincretismo religioso

Passo a semana em Salvador que coincide com a lavagem do Bonfim, o maior evento religioso da Bahia, que atrai mais de 500 mil pessoas. Em frente à igreja, que quinta próxima tem a sua lavagem das escadarias, o ato obrigatório de colocar a fitinha do Bonfim, pelo meu amigo publicitário e marqueteiro dos bons, o mais baiano de todos, Edson Barbosa.

A Lavagem do Bonfim é uma celebração inter-religiosa e acontece na quinta feira que antecede o segundo domingo após o Dia de Reis, no mês de janeiro. Neste período, também ocorre o novenário solene e exposição do Santíssimo Sacramento, interrompido apenas no dia da Lavagem, quando ocorre o cortejo entre a Igreja da Conceição da Praia e a Igreja do Bonfim, havendo a exposição de uma pequena imagem do senhor do Bonfim pelo capelão da Igreja do Bonfim na fachada do templo, com uma bênção especial a todos os presentes.

A lavagem da Igreja teve início em 1773, quando os integrantes da "Devoção do Senhor Bom Jesus do Bonfim", constituída por devotos leigos, faziam com que os escravos lavassem e ornamentassem a Igreja como parte dos preparativos para a festa do Senhor do Bonfim.

Publicado em: 14/01/2020