Bolsonarista adepto da lei Rouanet

Empresa fundada por Salim Mattar acumula mais de R$ 7 milhões em incentivos

 O secretário de desestatização, Salim Mattar. Foto: AMANDA PEROBELLI / Reuters

Época - Coluna de Guilherme Amado

Por Naomi Matsui
 

Um dos homens de Paulo Guedes e bolsonarista de primeira hora, o secretário de desestatização e desinvestimento do Ministério da Economia, Salim Mattar, foi um ferrenho adepto de um alvo contumaz do bolsonarismo: a Lei Rouanet.

A empresa fundada por Mattar, a Localiza, acumula até agora R$ 7,34 milhões em incentivos a projetos por meio do mecanismo.

Foram 74 doações feitas de 1995 a este ano, o que abarca o período em que Mattar ocupou a presidência e comandou o conselho de administração da empresa.

Mattar deixou a presidência da Localiza em 2013 e o conselho de administração no fim do ano passado.

Entre as doações da Localiza, estão um total de R$ 308,6 mil a Inhotim, em 2011.

A coluna questionou a assessoria de Mattar sobre o que o secretário pensa sobre a Lei Rouanet, mas foi informada de que "o referido assunto não é da competência" do secretário.

Também reforçou que Mattar deixou "a administração de todos os seus negócios em dezembro de 2018".

(Por Naomi Matsui)

Publicado em: 14/12/2019