Coluna desta quinta na Folha

Túlio Gadelha vice de João

Já com a tese amadurecida do PT fora da aliança, o PSB pode ganhar um parceiro inesperado na sucessão de Geraldo Júlio, no Recife: o PDT. Reunida em Brasília, a cúpula pedetista deu o start à discussão de uma coligação envolvendo quatro legendas – o próprio PDT, PSB, Rede e PV.

A aliança seria reproduzida não apenas no Recife, mas também no Rio, Minas e São Paulo. No caso do Recife, a cabeça de chapa caberia ao PSB, com João Campos e o vice indicado pelo PDT. O nome especulado seria o do deputado Túlio Gadelha, candidato a prefeito preferido por 9% dos eleitores recifenses, segundo pesquisa do Instituto IPE.

Gadelha é a chamada “noiva” mais cobiçada de todos os candidatos a prefeito do Recife, a começar por Marília Arraes, postulante do PT, mas se o PDT sentir que o cavalo está passando selado não abrirá mão da candidatura de Gadelha em faixa própria, pondo abaixo a prematura aliança com o PSB.

Ideia é bombar Ciro – No plano nacional, PSB, PDT, Rede e PV nas eleições de 2022 se uniriam em torno do candidato pedetista, o ex-ministro Ciro Gomes. Já para as eleições de prefeito em 2020 no Rio, dois nomes seriam testados nas pesquisas para bater o martelo: Martha Rocha, do PDT, e Alessandro Molon, do PSB. O bloco quer atuar em conjunto também na Câmara dos Deputados.

Bom exemplo – Se todo o segundo escalão federal fosse previamente escolhido por critérios meramente técnicos, o Governo Bolsonaro faria o diferencial. O caso mais recente de nomeação bem-sucedida é o da advogada Renata Teti, nova superintendente do Metrorec. Depois de 10 anos atuando na CBTU no Rio, Teti, funcionária de carreira, é a primeira mulher a assumir o Metrô do Recife.

Faz a diferença – Diferentemente do antecessor, o pavão misterioso Luiz Otávio Cavalcanti, que levou a Fundaj ao limbo por incompetência e disposição para a labuta, o advogado Antônio Campos, o novo inquieto presidente, colocou a Fundação Joaquim Nabuco na vitrine. Recentemente, o seminário internacional Gilberto Freyre/João Cabral de Melo Neto bombou.

E o povo? – O projeto mais propalado pelo prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PL), diz respeito à proteção dos animais. Se cuidasse tão bem do povo quanto se apresenta como protetor da fauna bichana, certamente não estaria ameaçado de ter o cartão engolido pela delegada Gleide Ângelo.

Pulo do gato – Não é apenas Silvio Costa Filho que se reaproxima do Palácio. Limoeiro, do prefeito socialista e candidato à reeleição, Joãozinho, tende a sofrer um forte impacto na sucessão municipal: a conversão do deputado Ricardo Teobaldo (Podemos) ao socialismo de ocasião.

ATENTADO – Petrolina está em chamas com a notícia do atentado sofrido pelo secretário de Mobilidade, José Carlos Alves. Ao sair de casa, ontem pela manhã, levou quatro tiros e agoniza no hospital. O prefeito quer rigor na apuração. Afinal, foi Carlos que operou a mudança no transporte coletivo.

Perguntar não ofende: Quem teria interesse em tirar a vida do executivo que acabou com o monopólio de 50 anos no transporte urbano da cidade?

Publicado em: 12/12/2019