Geraldo garante 300 mil euros para o Parque Capibaribe

O prefeito Geraldo Julio volta da Conferência das Partes da ONU sobre o Clima (COP25) com boas notícias para o Recife. O Projeto Parque Capibaribe, da Prefeitura do Recife, foi reconhecido entre mais de 140 trabalhos de todo o mundo e vai receber apoio técnico e financeiro do Banco Europeu de Investimentos (BEI). O aporte, na ordem de 300 mil euros faz parte do Desafio das Cidades para o Clima Global (GCCC) e será focado na parte de projetos para o Parque. O Recife foi um dos cinco selecionados por seus projetos ambiciosos de clima urbano potencialmente transformadores. 

O prefeito Geraldo Julio comemorou a notícia. “Tivemos uma reunião com o Banco Europeu de Investimentos, onde eles anunciaram o financiamento do Parque Capibaribe, 300 mil euros para a parte de projetos. Nós apresentamos um projeto orçado em R$90 milhões, e eles vão participar neste primeiro momento na área de projetos, com a possibilidade concreta de captação também de recursos para obras, já em um volume muito maior de investimento, para fazer obras de peso no rio Capibaribe. Mas um dia produtivo aqui na Conferência do Clima da ONU”, destacou o prefeito. 

O projeto apresentado focou na reabilitação e expansão do parque urbano, com o objetivo de melhorar a mobilidade sustentável, reduzir o risco de inundações e o impacto das ondas de calor, além de contribuir para o seqüestro de carbono. O Parque Capibaribe compreende um sistema de parques integrados ao longo das duas margens do Rio Capibaribe no Recife, revolucionando assim a forma como as pessoas vivem a cidade ao reconectá-las com as águas do rio, resgatando a bacia hidrográfica como espinha dorsal da cidade através de áreas de lazer, descanso e bem-estar. A primeira etapa do parque já foi entregue, o Jardim Baobá. Também já foi concluída a revitalização da Praça Otávio de Freitas, no Derby, dentro do conceito do Parque.

Os projetos escolhidos pelo Desafio das Cidades para o Clima Global (GCCC) se concentram em ações críticas sobre o clima urbano, incluindo a melhoria da gestão de resíduos, a redução da poluição dos rios e dos oceanos, o transporte urbano sustentável, o esverdeamento de espaços urbanos e o aumento da resiliência urbana aos efeitos das mudanças climáticas.O GCCC faz parte de uma abordagem estratégica geral para ajudar as cidades a tirar do papel, seus projetos de ação climática.

O presidente do BEI, Werner Hoyer, falou sobre a importância do investimento. “As cidades precisam de apoio para lançar seus projetos climáticos e, à medida que fortalecemos nosso papel como banco climático da UE, nós do BEI precisamos de ótimos modelos. Por isso a parceria entre o Global Climate City Challenge com o GCOM, é imensamente importante. Nos mostra líderes climáticos como os cinco anunciados hoje, mas também ajuda a identificar o que é realmente necessário localmente para torná-los lucrativos, melhorar a vida das pessoas locais e combater as alterações climáticas”, concluiu.

O Parque, que se estenderá por 30 km, todo o percurso do Rio Capibaribe, irá articular espaços públicos existentes em uma área de influência de 42 bairros e promover transformações para que Recife se torne uma Cidade-Parque capaz de oferecer novas oportunidades e maior qualidade de vida a seus habitantes.  O Parque Capibaribe é o ponto de partida para que o Recife se torne uma Cidade-Parque em 2037, quando a cidade comemora 500 anos. 

Publicado em: 10/12/2019