Handebol pernambucano – Orgulho e vergonha

Por Artur Vaz*

Na última semana de novembro, na cidade de Cascavel, no Paraná, aconteceu o Campeonato Brasileiro Adulto de Handebol, onde os adeptos do desporto amador pernambucano tiveram motivos de sobras para se orgulhar e, ao mesmo tempo, se envergonhar dos seus clubes representantes.

Se por um lado tivemos a vitoriosa campanha do Clube Português do Recife, conquistando os títulos nacionais masculino e feminino, fazendo uma dobradinha pernambucana nas terras do Sul,  levantando de forma inquestionável as taças de campeões, o outro representante do Estado na competição, o Sport/Jaguar, impôs um vexame sem precedentes na modalidade.

Foram eliminados da competição, sendo impedidos de entrar em quadra em alguns jogos. Quando conseguiam entrar na quadra, os árbitros não iniciavam a partida. O time estava irregular, causando uma vergonha sem tamanho, com direito de ser assistida pela TV com transmissão pela internet.Toda esta confusão se deu em razão da aventura do dirigente Márcio Ferreira Bezerra. O conhecido “Professor” inscreveu uma pessoa para ser o técnico de sua equipe, mas o mesmo não estava presente no campeonato, numa afronta ao regulamento da competição, que é muito claro quando exige a presença de um técnico registrado para que a equipe possa jogar.

O fato é que, com a ausência do técnico registrado, o “Professor”, assim mesmo, entre aspas, que não tem sequer registro no Conselho Federal de Educação Física, fazia o papel deste profissional, atuando indevidamente como o técnico da equipe.

Comentam que isto já é um costume deste falso profissional, ele exerce indevidamente a profissão, se comportando como um verdadeiro charlatão, um audacioso, desfilando  pelas quadras do Brasil.

O mais vergonhoso deste triste episódio, é que muitos dos atletas do Sport/Jaguar, tanto do masculino, como do feminino, pagaram as passagens do próprio bolso, ou recorreram a ajuda dos pais, parentes e amigos que viram o seu suado dinheiro ir para o ralo por conta da inconsequência deste “Professor”.

E agora, a pergunta premiada: Quem vai pagar a conta destes atletas e dos seus pais?

Que Orgulho! Que Vergonha!

*Ex-atleta de Handebol

Publicado em: 10/12/2019