O desabafo de Rodrigo Novaes

Recebi, há pouco, do secretário estadual de Turismo, Rodrigo Novaes, o desabafo abaixo sobre a informação que postei, hoje cedo, dando conta da insatisfação da base do Governo com o seu trabalho na pasta, voltado muito mais em torno dos seus projetos pessoais no campo político do que mesmo para atender interesses do Estado e da base de sustentação do Governo na Assembleia. Segundo apurei, seu projeto é se eleger deputado federal e passar seu legado na Alepe a um primo.

Caro Magno,

Não sei nem te dizer como entrei em política. Alguns acreditavam que nunca conseguiria vencer uma eleição. Acho que só eu acreditava. Perdi a primeira eleição para deputado com 26 anos.

Fui vice-prefeito de Floresta. De classe média, meu pai deixou de ser parlamentar quando eu tinha apenas 10 anos de idade. Sertanejo, sem padrinho político, segui esse caminho difícil por me sentir vocacionado.

Nunca aprendi a passar por cima de ninguém para alcançar alguma coisa, nem nunca me arvorei do poder para construir o caminho verdadeiro ao lado das pessoas que acreditam no meu trabalho. A caminhada sempre foi difícil.

Foi com trabalho e honradez que construí amizades, e respeito do povo pernambucano. Nunca dependi de prestígio com quem quer que fosse, nem de estrutura, nem de cargo, para disputar minhas eleições.

Nesta última eleição, fui o segundo mais votado da coligação com mais de 65 mil votos, o quinto mais votado de todo o Estado. Estou tendo a oportunidade de servir ao Governo em uma nova experiência no executivo, o que tenho feito com dedicação absoluta, fidelidade e compromisso com a gestão do governador Paulo Câmara.

Não me parece justo sua colocação, mais uma vez, a meu respeito. Aprendi com meu velho pai, o ex-deputado Vital Novaes, que as pessoas não gostam de quem se dedica, de quem consegue reconhecimento por fazer as coisas com amor.

Isso causa angústia nos que não têm bom coração. Sigo estranhando tuas colocações a meu respeito. Estar no cargo somente como “trampolim político”? Sinceramente não entendo. Tenho respeito por você, pela sua origem sertaneja, por sua ex-mulher Aline Mariano, que era filha de um grande amigo da minha família.

Uso de argumentos pessoais também porque a maneira como você se coloca sobre mim é pessoal mesmo. Convivo bem com a crítica, mas tua palavra não é sobre minha gestão, sobre minhas posições políticas, é sempre ofensiva.

E mais, traz elementos inverídicos. Quem quero lançar candidato a deputado estadual? Um primo? Que primo? Paciência, Magno.

Deus te abençoe, amigo. Te dê muita luz.

Atenciosamente,

Rodrigo Novaes

Secretário de Turismo e deputado estadual licenciado

Publicado em: 05/12/2019