Coluna desta sexta na Folha

Raquel sofre inferno astral

A bruxa anda solta em Caruaru, azucrinando e infernizando a rotina da prefeita Raquel Lyra (PSDB). Com quatro fatos negativos seguidos nos últimos 30 dias, a tucana vive, literalmente, o seu inferno astral, período de energias negativas, que só puxa o governante para baixo. O primeiro grande baque se deu com a liminar suspendendo o contrato de R$ 83 milhões com a Caixa Econômica.

Há dois dias, seu recurso para derrubar a medida também foi negado. Ontem, mais duas péssimas notícias: viralizou nas redes sociais um vídeo de uma estudante denunciando as péssimas condições da merenda servida na escola municipal Duque de Caxias, enquanto em outra ponta o Tribunal de Contas suspendia uma seleção pessoal.

Se tudo isso não deixasse a bateria da prefeita quase sem pilhas, a mudança da feira dos ambulantes não deu certo, provocou protestos pelas ruas e o que parecia uma aparente solução virou pandemônio.

Nas páginas policiais – Raquel vê, também, o mundo político de Caruaru entrar para o noticiário policial. O ex-vereador Val de Cachoeira Seca, ligado ao grupo do deputado Tony Gel (MDB), inimigo figadal da tucana, teve um filho assassinado em um restaurante no bairro Maurício de Nassau, próximo a BR-104. O recrudescimento da violência a prefeita, entretanto, joga no colo do governador.

Pavão – Em entrevista, ontem, ao Frente a Frente, o deputado Felipe Carreras, que sofreu uma cassação branca da direção do PSB por votar a favor da reforma da Previdência, maneirou no discurso da réplica em direção ao presidente Carlos Siqueira, que disse que o TSE não acata a reclamação dos oito parlamentares punidos. Disse apenas que o dirigente desafeto é muito vaidoso.

Caloteiro – Em Araripina, a pré-campanha eleitoral começa pegando fogo. Candidato à reeleição, o prefeito Raimundo Pimentel (PSL) acusou, ontem, o ex-prefeito Alexandre Arraes (PSB) de ter dado uma mordida de R$ 25 milhões nos cofres da viúva. “Foi o maior calote sofrido pela Prefeitura”, afirmou. À coluna, enviou um lote de documentos provando a acusação.

Zé calçamento – Em Cumaru, o ex-prefeito Eduardo Tabosa (PSD) não deixou um tostão do FEM para a sucessora Mariana Medeiros (PP). Executou tudo o que tinha direito do fundo emergencial em calçamento de ruas, passando à história como o gestor que mais tirou o povo da lama no município.

Coronel – Exercitando o que mais gosta – o viés coronelista – o prefeito de São Lourenço da Mata, Bruno Pereira (PTB), impediu, ontem, que a delegada Patrícia Domingos fizesse uma palestra na Câmara de Vereadores. Depois de um ligeiro tumulto, o evento ocorreu no Sindicato dos Trabalhadores.

PAGAMENTO – O prefeito de Olinda, Professor Lupércio (SD), garante que paga, já no próximo dia 5, o 13º salário dos professores da rede municipal, mas os demais funcionários ativos e inativos somente dia 20. Na realidade, todos os municípios estão pagando, primeiro, os professores, maior volume da folha.

Perguntar não ofende: O prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira, virou o rei do gado no Agreste?

Publicado em: 29/11/2019