Coluna desta quarta na Folha

Mais uma derrapada de Guedes

Condutor da política econômica com sinais positivos, o ministro Paulo Guedes foge à regra dos antecessores e dá pitacos políticos. Nem os ministros que fizeram o Plano Real, como Fernando Henrique, saiam do seu habitat para mergulhar na seara política. Quem entende de economia, com raríssimas exceções, acaba não conjugando bem o verbo da futrica política.

Por isso, Guedes deu uma tremenda pisada de bola, ontem, ao defender, como o deputado Eduardo Bolsonaro lá atrás, a reedição do AI-5 – Ato Institucional Número 5 – o maior símbolo da ditadura militar, que reprimiu, ceifou vidas, cassou mandatos, fechou o Congresso e banou a liberdade de expressão.

A derrapada é prova mais do que inconteste de que as crises na gestão Bolsonaro não têm origem na oposição, mas no próprio Governo, em ministros desavisados, em presidente que dá canelada, em filhos maluquinhos, que dobram o pai facilmente.

A casca de banana – Paulo Guedes derrapou na casca de banana dos jornalistas provocando sua opinião se o Brasil corria riscos de manifestações nas ruas contra a política econômica semelhante ao que está acontecendo no Chile. “Não se assustem se alguém pedir o AI-5 diante de quebradeira nas ruas”, ameaçou. Em seguida, se desculpou. Disse que o Brasil não tinha espaço para repressão.

Na assessoria – O presidente do Sindicato dos Jornalistas, Severino Júnior, ao invés de condenar um não-jornalista na Secretaria de Imprensa de Olinda, me destilou ódio e ainda usou a Fenaj como avalista. Descobri, porém, que sua defesa pelo ex-jogador Chiquinho, amigo de Lupércio, tem razões mais “reflexivas”: o sindicalista Severino é, também, assessor do prefeito.

Na jugular – Em duro discurso, ontem, diante de prefeitos, no Recife, o presidente da Amupe, José Patriota (PSB), bateu duro nos governadores. Jogou a culpa neles pelos municípios não terem entrado na reforma da Previdência. “Pagamos um preço pelo capricho político dos governadores”, resmungou. Com a palavra, Paulo Câmara, que fez coro contra a reforma, aliado de Patriota.

Nota zero – O prefeito de Tabira, Sebastião Dias (PTB), deu um péssimo exemplo, ontem, em mais uma reunião da Amupe, no Recife: foi flagrado por este colunista jogando baralho no celular enquanto pegava fogo na plateia de mais de 80 prefeitos o debate sobre o chamado Pacto Federativo.

Pressão – Representante da Confederação Nacional dos Municípios no encontro da Amupe, o ex-prefeito de Cumaru, Eduardo Tabosa, fez coro para os prefeitos irem a Brasília, na próxima semana, pressionar o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a desengavetar a proposta de acrescentar mais 1% no FPM.

BOI NA LINHA – O Tribunal de Contas do Estado barrou uma licitação fraudulenta da Prefeitura de Ipojuca para contratação de uma empresa de remoção de esgotos públicos. Iam ser jogados pelo esgoto, literalmente, R$ 2,5 milhões. A prefeita Célia Sales (PTB) terá que refazer o processo licitatório.

Perguntar não ofende: O Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco está sendo aparelhado?

Publicado em: 27/11/2019