A notícia na palma da mão

Faço, logo mais, às 19 horas, na Fundação Joaquim Nabuco, após ancorar o programa Frente a Frente, uma palestra bem oportuna sobre a travessia do jornalismo impresso para o on-line, suas consequências e efeitos no País, destinada a um público formador de opinião, estudantes de Jornalismo e outros segmentos.

Estamos enfrentando a mais profunda e muitas vezes perversa revolução no modo de levar a informação ao público leitor. A notícia saiu da velha máquina de escrever, indo parar na palma da mão, no seu smartphone. O Brasil avançou bastante, mas ainda está muito atrás das grandes potências mundiais.

Sou cria do jornalismo impresso, andarilho das redações nacionais e locais num tempo em que a notícia era buscada com muita investigação e entrevistas, esforço hoje substituído pelo Google.

Estamos diante de uma nova geração de jornalistas do copia e cola, repórteres longe das ruas, sem fontes, sem paixão pelos grandes furos. A internet trouxe a velocidade da informação, mas remete também ao leitor o que há de mais perverso: o jornalismo da mentira, das chamadas fake news.

Tudo isso e outras cositas mais você confere hoje na minha palestra. Corra que o espaço é pequeno e o número de inscrição limitado. O endereço para garantir a sua vaga está neste material ilustrativo da postagem. Boa sorte!

Publicado em: 14/11/2019