Itacuruba pode ganhar hospital modelo com usina

A agenda de hoje em Angra dos Reis começou com uma visita ao hospital mantido pela Eletronuclear na área da Praia Brava, a 5 km das usinas nucleares. Em 44 anos de funcionamento das geradoras de energia nuclear nunca ocorreu um só acidente envolvendo trabalhadores com radiações ionizantes.

Se Itacuruba ganhar uma usina, como está na disputa com mais três municípios do Nordeste, pode receber de presente um hospital como consequência da chegada do equipamento com o mesmo padrão do de Angra.

O hospital, segundo Waldyr Laguna, diretor superintendente da Fundação Feam, que administra a unidade hospitalar, atende a 85% dos pacientes do SUS  em torno das usinas nucleares. Possui 40 leitos, serviços de alta complexidade e oito  UTIS, uma delas de isolamento.

"Prestamos serviços não apenas aos servidores das usinas, mas a toda população ao redor, de Angra a Paraty, algo em torno de 300 mil pessoas", disse Waldyr.

O hospital tem ainda o Centro de Medicina de Radiações Ionizantes. Por mês, são atendidas 1,5 mil pacientes em seus ambulatórios, com uma média de 130 cirurgias por mês. Mas pelo serviço, felizmente, nunca nunca passou um só  atendimento de radioacidentado", disse o diretor.

Publicado em: 18/10/2019