Coluna desta quarta na Folha

Morre a grife do País de Caruaru

Dizia Martin Luther King, pastor protestante e ativista político americano, que se o homem nunca descobriu nada pelo qual morreria, não estaria pronto para morrer. O empresário Luiz Lacerda, que morreu, ontem, aos 94 anos, em Caruaru, descobriu, na sua longa vivência, muitos motivos para o adeus à vida em paz com o conceito de Luther King.

Um deles foi fundar o seu time do coração, o Central, e colocar Caruaru na elite do futebol pernambucano. Homem de visão futurista, enveredou pelo comércio atacadista, foi o maior importador de bacalhau do País, mas nunca perdeu a humildade de agrestino criado na roça, de onde saiu garoto para dar o grito de liberdade como um dos homens de negócios mais bem-sucedidos do País.

Grife do País de Caruaru, Luiz Lacerda foi, também, fundador do sistema Liberdade de rádio, numa época de regime fechado, que não se respirava liberdade, daí a inspiração para a razão social da emissora. Era, enfim, escravo das suas paixões – o comércio, a família, o Central e sua gente caruaruense. Era um homem amoroso e admirável. Seu legado? O amor a Caruaru e ao seu Central, a patativa do Agreste.

Viagra natural – Na última vez que almocei com Luiz Lacerda, em uma das idas à rádio Cultura para apresentar o programa Frente a Frente, observei ter optado por uma costela de porco bem passadinha. Curioso, perguntei pela sua preferência e ele, já aos 94 anos, exibindo saúde e de namorada bem mais jovem, revelou que traçava um porquinho com frequência por ser um Viagra natural.

Xodós – Aos 80 anos, Luiz Lacerda ainda jogava uma peladinha de fim de semana com o genro Tony Gel, deputado estadual pelo MDB. De bem com a vida, dançava, bebia seu uísque moderado e nunca perdia uma partida do Central. Seu xodó eram os filhos, especialmente Miriam, ex-deputada. Fora da família, o radialista Ivan Feitosa, a quem tratava como filho adotivo.

Precedente – O deputado Felipe Carreras, punido pelo PSB com a suspensão do seu mandato por um ano, por ter votado a favor da reforma da Previdência, adorou a ideia da deputada Tábata Amaral (SP), que, ameaçada de expulsão pelo mesmo motivo, está recorrendo à justiça eleitoral para se manter na legenda. Carreras já tem advogado tratando do assunto.

Nojo – Na longa entrevista exclusiva que deu, ontem, ao Frente a Frente, o cantor Moacyr Franco, que faz show no final da semana que vem em Campina Grande e João Pessoa, disse que tem nojo em falar, hoje, da política nacional, mesmo tendo sido deputado federal. Tem lá suas razões!

Risco – Embora o Congresso tenha proibido usar o dinheiro dos precatórios do Fundef para pagar salário de professores, a prefeita de Itaíba, Regina Cunha (PTB), anunciou, ontem, Dia do Professor, que passará por cima da lei e atenderá à demanda salarial da categoria. Pode ficar inelegível.

USINAS – Acompanho, a partir de hoje, a comissão parlamentar da Assembleia Legislativa, coordenada pelo deputado Alberto Feitosa (SD), em visita às instalações das usinas nucleares 1, 2 e 3 de Angra dos Reis, no Rio. Pode sair de lá o modelo para a usina projetada para Itacuruba, no Sertão.

Perguntar não ofende: Por que a Policia Federal também não fez operação nos endereços do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro, em Minas?

Publicado em: 16/10/2019