Viva o beato e a Santa dos Pobrezinhos

A Igreja Apostólica de Roma, Amor, que perseguiu o autoproclamado Imperador do Arraial de Canudos é a mesmíssima Igreja do Papa globalista Francisco que canonizou a Santa Irmã Dulce dos Pobres. Assim falou o bicho-grilo Adalbertovsky em sua cantoria nas montanhas da Jaqueira. Contritos e penitentes, os ricos e poderosos foram a Roma, às custas dos nossos impostos, venerar a santa irmã dos pobrezinhos.

“O Sertão vai virar mar, o mar vai virar Sertão, haverá rios de leite e montanhas de cuscuz”. Assim falava o beato Antonio Conselheiro. Chamado de fanático e conspirador pela volta da Monarquia, o peregrino Santo Antonio dos Mares despertou a fúria da nascente República, idos de 1896, da milenar Igreja Católica, Apostólica Romana e dos fazendeiros donos de gado e de gente. O Arraial foi exterminado pelas briosas tropas republicanas, os beatos e as beatas foram degolados em nome da harmonia social”.

“Ora, direis, o Arraial de Canudos do Conselheiro faz parte de um passado remoto. Eu vos direi, quanta ignorância! A Santa Irmã Dulce dos Pobres vive, o Santo Guerreiro peregrino dos mares vive nas periferias do Brazil. Os poetas, os heróis e as musas são flores sempre-vivas nos jardins de nossos corações”.

“Não, Jesus não morreu, /Vive na Serra/ da Borborema/, no ar de minha terra, /Na molécula e no átomo ele vive” – Augusto dos Anjos. Viva o beato Conselheiro! Viva o genial e bem-aventurado Dos Anjos! Viva a Santa Irmã Dulce dos Pobres!” A cantoria do bicho-grilo Adalbertovsky está postada no Menu Opinião.

Publicado em: 14/10/2019