Coluna desta quinta na Folha

Falta projeto para o País

Pela pesquisa do Ibope de ontem, na qual a popularidade do presidente Bolsonaro despencou mais quatro pontos percentuais de agosto para setembro, seu governo dança no ritmo da cantiga da perua, de pior a pior. Como se diz no Sertão, Bolsonaro cresce feito rabo de cavalo, para baixo.

Muitos fatores contribuem fortemente pela baixa, desde a falta de um projeto para o País, o que não se viu a partir da campanha eleitoral, até a indevida interferência dos filhos na gestão. Flávio, o senador, envolvido num baita escândalo de contratos de fantasmas quando deputado estadual no Rio; Carlos, o terrorista da internet, fazendo só o mal.

E Eduardo, o chapeiro de hambúrguer que quer virar embaixador nos Estados Unidos. Pesa, ainda, contra Bolsonaro, a intrepidez da sua língua e o mimimi do ministro da Fazenda, Paulo Guedes, que fala demais, mas não tem revelado competência para levar o País à retomada do crescimento.

Reflexo nordestino – A queda mais significativa na popularidade de Bolsonaro se reflete no Nordeste, não apenas pelo arraigado lulismo entre seus eleitores, mas pela falta de um projeto para a região. Abraçada pelo ex-presidente Temer, até a transposição do São Francisco não foi priorizada pelo Governo. No seu Ministério, inclusive, não tem um só representante nordestino.

Rompimento – Já é público o afastamento do governador da Paraíba, João Azevedo (PSB), com o antecessor Ricardo Coutinho. Criador e criatura não estarão mais no mesmo palanque nas eleições municipais. A briga é tão barulhenta que se estendeu para o controle do PSB na Paraíba. Coutinho fez uma intervenção no diretório socialista, dominando o partido por uma comissão provisória.

Segurança – À propósito do susto no voo em que estava o deputado Wolney Queiroz (PDT), na última terça-feira, ao arremeter a aeronave já na beira da pista de pouso em Brasília, a Latam enviou nota à coluna garantindo que, em nenhum momento, a vida dos passageiros foi colocada em risco. “A arremetida é um procedimento padrão de segurança na aviação”, diz a nota.

Alma quer reza – Em entrevista ao humorista Maurício Meirelles, Ciro Gomes (PDT) voltou a elogiar o Governo Bolsonaro. “Não foi Bolsonaro que criou essa crise, foi o PT”, afirmou. Ciro disse, ainda, que Bolsonaro faz o óbvio, “mas um óbvio que nem Lula nem Dilma fez”. A entrevista está no Youtube.

Incerteza – Está indefinida a situação do líder no Senado, Fernando Bezerra Coelho, no Governo. Uma corrente acha que ele não perderá a liderança porque seria fragilizar o Senado, outra interpreta que seu reinado não dura até a próxima semana. O tempo, que é o senhor da razão, dirá.

EMENDAS – A bancada federal do Estado tem reunião agendada para a próxima terça-feira, para discutir a apresentação de emendas ao PPA 2020-2023. A princípio, cada parlamentar terá direito a três emendas, serão assimiladas também três emendas de bancada e três de comissões.

Perguntar não ofende: A população de Itacuruba aprova a ideia do Governo de ali instalar uma usina nuclear?

Publicado em: 26/09/2019