Coluna desta segunda na Folha

Fake news num território sem lei

Os jornalistas Gleison Simeon e Wilson Firmo, de uma agência de publicidade no Cabo, promoveram, neste último fim de semana, naquela cidade, um seminário oportuno sobre um tema que tem contaminado o território da informação na internet: a droga das fake news (notícias falsas).

Pelo mal que vem fazendo, o modelo do Cabo poderia ser copiado para o resto do Estado. Tem sido difícil para nós, jornalistas, separar o joio do trigo, ou seja, a notícia real da fantasiosa no mundo online. Os propagandistas da falsidade atraem os leitores pelas manchetes apelativas.

Na recente campanha presidencial, a mídia denunciou um esquema milionário e ilegal de financiamento de fake news por empresas apoiadoras de Jair Bolsonaro. O “kit gay” distribuído nas escolas no governo petista, por exemplo, não existiu e nunca chegou às escolas. Divulgaram, também, uma agressão de Ciro Gomes a Patrícia Pilar que nunca existiu.

Manchetes mentirosas – Na minha participação no seminário, apresentei um elenco de manchetes falsas difundidas na net: “Trump faz oração para saúde de Bolsonaro”, “Datena deseja que hospital onde está Bolsonaro pegue fogo”, “Haddad é o criador do Kit Gay para crianças de 6 anos”, “O homem que apunhalou Bolsonaro é filiado ao PT”, Haddad defende o incesto e o comunismo em um dos seus livros”.

Território sem lei – Um filão para difundir fake news em grupos fechados e gerar o caos entre os eleitores e a opinião pública é o WhatsApp. São 120 milhões de pessoas captadas, instantaneamente, a distância. Chefe da comunicação da Polícia Federal em Pernambuco, o competente Geovane Santore, devorador de livros, fez uma apresentação brilhante sobre o tema, no Cabo.

Vice de Lula – O ex-ministro e presidenciável Ciro Gomes, no afã de chegar ao poder de qualquer forma, se ofereceu para ser o candidato a vice de Lula, conforme recente desabafo do ex-presidente da sua cela em Curitiba. “Eu acho difícil uma pessoa que se acha tão inteligente como o Ciro querer ser vice de um torneiro mecânico”, ironizou Lula. O portador do convite foi Haddad.

Unidos – O ex-prefeito de Afogados da Ingazeira, Totonho Valadares, ex-tucano, que se filia ao MDB de Fernando Bezerra e Jarbas, na próxima quinta-feira, para ser candidato a prefeito, nega que já esteja rompido com o prefeito José Patriota (PSB). Eles tiveram uma longa conversa, sábado passado.

Chapa – Candidato a prefeito de Caruaru, o deputado José Queiroz (PDT) procurou o empresário Tonynho Rodrigues, filho do deputado Tony Gel (MDB), para papear sobre a sucessão da prefeita Raquel Lyra (PSDB). Logo se espalhou pelas redes sociais a chapa Queiroz/Tonynho.

SOLIDARIEDADE – O senador Fernando Bezerra Coelho e o seu filho, o deputado federal Fernando Filho, ambos do MDB, e que tiveram seus gabinetes vasculhados numa operação da Polícia Federal, quinta-feira passada, difundiram pelas redes sociais um vídeo agradecendo a solidariedade recebida.

Perguntar não ofende: Bolsonaro está desafiando a si mesmo e a Medicina ao viajar para os EUA com menos de 15 dias de operado?

Publicado em: 22/09/2019